Blog:Eventos

De Garoa Hacker Clube
Ir para: navegação, pesquisa

Posts sobre eventos realizados no Garoa | Todos os posts | Publicar um post aqui

Para divulgar um evento que vai acontecer, use a página Eventos.


Palestras do Garoa na ETEC Guaracy Silveira - Fev 2016

O Garoa apresentou no dia 26/fevereiro/2016 duas palestras na ETEC Guaracy Silveira para os alunos do curso de Eletrônica:

ETEC DQ 160226.jpg Do Arduino à Placa Pronta - com DQ
  • O Arduino como plataforma de prototipação
  • Montando o Arduino em uma protoboard
  • Substituindo o ATmega por um ATtiny
ETEC Juca 160226.jpg Engenharia Reversa de Hardware - com Felipe Sanches

O Dumont Hackerspace estará na Campus Party 2016

Dumont.svg

Os hackerspaces brasileiros estarão representados na próxima Campus Party Brasil através do Dumont Hackerspace.

O Dumont Hackerspace surgiu em Maio de 2014 para ser um espaço autônomo e itinerante, idealizado pela comunidade brasileira de hackerspaces para existir como um meta-hackerspace temporário representando o movimento hacker dentro de eventos de grande porte. O Dumont Hackerspace recebe representantes de diversos hackerspaces, makerspaces e coletivos brasileiros, que realizam atividades como palestras, oficinas, debates, conversas ou simples socialização.

Durante a Campus Party teremos um espaço de livre acesso na área de Campuseiros, aonde vamos oferecer a mesma experiência que um autêntico hackerspace pode lhe dar. Veja quais são alguns dos Hackerspaces e Makerspaces que já confirmaram a sua presença:

Os hackerspaces, makerspaces e coletivos interessados em participar podem nos ajudar a tocar o Dumont Hackerspace durante a Campus Party, ou seja: oferecendo atividades (oficinas, palestras, etc), ajudando nas demais atividades marcadas, e ficando no nosso espaço parte do tempo para garantirmos que sempre terá gente.

A 9ª edição da Campus Party Brasil será realizada no Centro de Convenções do Anhembi em São Paulo entre os dias 26 e 31 de Janeiro de 2016. A Campus Party é o maior acontecimento tecnológico do mundo nas áreas de inovação, ciência, cultura e entretenimento digital, reunindo milhares de pessoas - os campuseiros - para debater os principais temas de cada um destes universos. Os participantes mudam-se com seus computadores, malas e barracas para dentro de uma arena, onde se conectam a uma rede super veloz e convivem em torno de oficinas, palestras, conferências, competições e atividades de lazer.


Para saber mais

Hackids 17 jan 15

No dia 17 de janeiro tivemos a primeira edição do Hackids, uma oficina de programação para crianças (ou já nem tanto). A sala Multiuso lotou de crianças aprendendo a linguagem Scratch e fazendo sua própria versão de um clássico dos videogames: Pong!

HackidsJan15 8.jpg

Dungeons & Velociraptors 17-03-2014

Neste dia decidimos jogar o Colonizadores de Catan, um jogo relativamente popular de estratégia, que adquirimos recentemente. O Catan que temos no Garoa permite até 4 jogadores (existe uma extensão que permite até 6 jogadores) e é um jogo relativamente longo: cada partida dura em torno de 2 a 3 horas.


Cada jogador contrói estradas, aldeias e cidades em sua rodada, de acordo com a quantidade de recursos que acumulou até o momento (por exemplo, para construir uma estrada são necessários um recurso de madeira e um de tijolo). Cada hexágono do tabuleiro representa um terreno que produz um recurso natural específico. As estradas são construídas nas arestas dos hexágonos a partir das aldeias e cidades, que podem ser construídas nos cantos (desde que não tenha nenhuma aldeia ou cidade de um competidor próxima). A rodada começa jogando os dados, que vão indicar um terreno no qual seus recursos serão entregues aos jogadores que tenham construído uma aldeia ou vila em algum dos seus cantos.

O comércio de recursos entre todos os jogadores é permitido, desde que envolva o jogador que rolou os dados, e ainda há os portos aonde o jogador pode trocar recursos com a banca se tiver construído uma aldeia ou cidade. Há ainda o ladrão: sempre que um jogador tirar 7 nos dados, pode mover uma peça que representa o ladrão para um hexágono de terreno, e então este jogador pode roubar uma carta de recursos de um dos jogadores presentes nesse hexágono. O hexágono onde o ladrão está colocado torna-se improdutivo enquanto o ladrão estiver lá. Ao final, ganha o jogo quem somar 10 pontos, correspondentes a construções que possui (cada aldeia vale 1 ponto e cada cidade vale 2 pontos), além de pontos ganhos com cartas especiais (que valem 1 ponto cada) ou por conseguir a maior rota ou o maior exército (2 pontos cada).

Uma boa dica para quem quer aprender o Catan é assistir o episódio sobre ele no TableTop.

--Anchisesbr (discussão) 13h20min de 1 de abril de 2014 (BRT)

Impressões sobre o Laboratório Hacker na Câmara dos Deputados

Cristiano Ferri, Luca, Oda e Anchises durante a inauguração do LabHacker

Nos dias 18 e 19/02 a Câmara dos Deputados realizou um evento para inaugurar o Laboratório Hacker, que contou com a presença de membros do Garoa (Anchises, Luca e Oda), representantes de outros hackerspaces (do Tarrafa e do grupo Arduino Brasilia, que está tentando montar um hackerspace lá) e outros representantes de grupos e organizações relacionados a transparência de dados e inclusão digital (incluindo o Pedro Markun, do Transparência Hacker, mas que tem um pezinho aqui no Garoa também).

O Laboratório Hacker já conta com um espaço físico dentro da Câmara (anexo 2) que é aberto ao público e pretende fomentar a interação dos diversos órgãos da Câmada dos Deputados com a sociedade de forma colaborativa, através de oficinas, projetos e de ações cívicas como as "maratonas hacker", que permitirão desenvolver aplicativos que utilizem os dados da gestão pública para ações da cidadania.

O texto abaixo foi escrito pelo Oda, e francamente reflete as opiniões e impressões de vários que estiveram presentes.

Minhas impressões

A primeira reação foi torcer o nariz. A segunda foi passar para o próximo email e dar um gole de café. É justamente por momentos assim que o café deixou de ser um simples estimulante para ter um papel mais importante na minha vida. Se não fosse por essa pausa, eu provavelmente não teria me lembrado que, como membro do Garoa Hacker Clube, eu tenho o compromisso de "promover os ideais da ética hacker perante a comunidade e o poder público, esclarecendo desentendimentos acerca do termo hacker". Foi por isso que retornei àquela thread iniciada na lista do Garoa e respondi dizendo que deveríamos colaborar com o projeto.

Seguiram-se, em diversas listas, discussões com algumas sugestões, alguns preconceitos e um bocado de pesadas críticas. Foi mais ou menos neste ponto que o Cristiano Ferri entrou na conversa. Ele é formalmente o coordenador do Laboratório Hacker (mas se autodenomina "facilitador") e, com uma paciência digna de nota, esclareceu algumas coisas e mostrou abertura para transformar o espaço em algo realmente de valor.

Para contextualizar um pouco para quem chegou agora, estou falando de uma história que começou no ano passado, no Hackathon na Câmara dos Deputados. Durante as conversas da maratona foi levantada a ideia de que aquilo deveria acontecer de maneira mais contínua, possivelmente com a criação de um laboratório dentro da própria Câmara. Eu não estive presente para poder contar com mais detalhes o que rolou, mas parece que o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves, gostou da ideia. Nesse momento um pessoal esperto pegou o barco e continuou remando. O resultado foi que em dezembro último saiu a resolução criando o Laboratório Hacker e na semana passada houve a sua cerimônia de inauguração, da qual tive a honra de participar.

Essa inauguração foi um encontro de 2 dias com hackers de norte a sul do Brasil. Quem organizou tudo foi o próprio pessoal do Laboratório Hacker, funcionários públicos, com anos de casa, que já viram de tudo ali naqueles corredores e que estão tão interessados em melhorar o país quanto nós. Aliás, vale a pena dizer que a organização foi impecável e todos fomos muito bem recebidos.

No primeiro dia nós conversamos um bocado sobre o que deveria ser aquele espaço. Me parece meio consenso que vamos ter realmente um hackerspace, em todo o sentido da palavra, com um único anti-pattern: está dentro de uma instituição (apesar que, neste caso, está mais para solução do que para problema). De todo modo, antes de dar uma resolução empacotada, escolhida pelas poucas pessoas que participaram da inauguração, optamos por colocar em prática aquilo que temos exigido há tempos: possibilidade de participação. Então a ideia é que, de maneira colaborativa, a gente redija um texto definindo o que o espaço fará e como. Esse texto será oficializado pelos deputados e transformado em algo de acordo com a burocracia da Câmara. Mas, tudo com a participação de quem quiser participar. A bola está no nosso pé. Ou chutamos ou damos as costas e continuamos reclamando que nada funciona. Sentiu o drama?

Bom, continuando, na parte da tarde tivemos algumas palestras relâmpago e acabamos o dia falando de Arduino. Essas atividades vespertinas foram muito boas para que a gente pudesse se conhecer melhor, entender um pouco dos trâmites da Câmara e falar de hacking para além de dados abertos. Isso foi muito positivo pois, ainda que muitas das coisas desse laboratório venham a ser permeadas pelo tema dos dados abertos, este certamente não é a única coisa a ser trabalhada. Concluímos, por exemplo, que aquele poderia ser um espaço de experimentação, de tentar promover soluções criativas às questões trazidas pela sociedade, priorizando sempre a colaboração e o compartilhamento. Ou seja, um espaço para um pouco do verdadeiro hacking.

O dia seguinte começou com a cerimônia de inauguração. Foi bacana, sem dúvida, mas o ponto alto foi quando fomos nos encontrar com o presidente da Câmara, Henrique Alves. Ele aceitou o convite para conhecer o nosso espaço, que descreveu como "uma bagunça organizada", e rabiscou (literalmente) a nossa parede, escrevendo uma frase que será importante para conseguirmos o apoio necessário para manter o espaço vivo: "Este Parlamento brasileiro começa a mudar aqui. É a revolução pelas ideias e pela comunicação".

É claro que essa satisfação por ter vivido esse momento, e a empolgação com o que pode vir pela frente, caminham juntas com um estado de alerta. Em terreno de política não cabe ingenuidade e é preciso permanecermos atentos para saber tirar proveito da situação sem perder nossos princípios. Que esse estado de alerta, porém, não seja um impedimento de qualquer espécie. Esta é uma oportunidade singular para aumentar a participação da sociedade e a transparência, e para promover maior horizontalidade das relações. Não é o momento de perder este bonde por preconceitos ou outro tipo de estupidez. Nós temos tudo o que precisamos: comprometimento e abertura por parte dos responsáveis, espaço físico e apoio político. É agora que temos que demonstrar, na prática, a aplicabilidade e a importância de tudo que acreditamos. Precisamos nos unir, articular, fortalecer e participar. Que tal?


nanoFAQ

0. Hacker ou ráquer?

Sei lá, eu chamo de hacker.


1. O Laboratório Hacker é de algum partido?

Não. Ele pertence à estrutura administrativa da Diretoria Geral. Evidentemente, receber apoio de deputados é uma necessidade para continuar existindo, é papel de todos regular estas relações.


2. O Laboratório Hacker vai fazer lobby?

O Laboratório Hacker não vai fazer nada. Quem faz alguma coisa são as pessoas, utilizando a estrutura do laboratório e não em nome dele. Certamente este será um espaço para tensionar as relaçoes entre governo e sociedade, promover isso é lobby? Acho que não.


3. Qual o papel da equipe do Laboratório Hacker?

Além de organizar atividades, preparar materiais e promover a participação da sociedade, eles vão tentar fazer a ponte sociedade-burocracia-política.


4. Quem pode participar?

Todo mundo! Para todos os efeitos o Laboratório Hacker é um hackerspace.


5. Como manter contato?

Entre na lista de email https://lists.riseup.net/www/info/labhackercd



--Anchisesbr (discussão) 14h05min de 1 de março de 2014 (BRT)

Dungeons & Velociraptors 3-Fevereiro-2014

Segunda, 3 de fevereiro de 2014, 19:30[editar]

Neste encontro do (meu, do seu, do) nosso evento de jogos favorito, nosso colega Itiro nos apresentou um RPG Indie chamado Mountain Witch.

A história consiste em um grupo de ronins que são contratados para atacar um castelo com um Feiticeiro. Os ronins não se conhecem antes da aventura e existem vários focos de desconfiança entre eles. Todos os personagens tem uma história do porque eles se tornaram ronins, do porque eles precisam do gordo dinheiro da missão, e um "Dark Fate". Este Dark Fate é secreto (nem o mestre sabe) e fica a cargo dos participantes irem inserindo pedaços dele durante o decorrer da narrativa... Ele pode ser algo simples como querer se vingar de outro personagem até uma história de amor com um NPC.

O jogo começou sem maiores problemas e, para felicidade do Leonardo e do Samuel, vencemos os primeiros combates sem maiores problemas.

Ficou estabelecido que continuaremos a aventura na próxima jogatina (dia 10) e temos, pelo menos, mais 1 vaga que era do personagem do Samuel. Caso haja mais pessoas no próximo encontro, as atividades acontecerão em paralelo!

[Fotos em breve]

Dungeons & Velociraptors 27-janeiro-2014

Segunda, 27 de janeiro de 2014, 19:30[editar]

Dia 26 de janeiro é o provável aniversário do Dungeons & Dragons, o primeiro RPG publicado e em 2014 comemoramos o 40º aniversário deste sistema e aproveitamos a data para uma pequena demosntração da 4ª edição deste sistema.

Abrimos os trabalhos comigo (Itiro) explicando um pouco das regras e sobre as personagens prontas. A aventura escolhida foi "Keep on the Shadowfell", uma mini campanha introdutória que foi lançada com a 4 edição. A sessão deveria começar com um aquecimento, um tutorial sobre o sistema de combate com um leve embate contra um grupo de kobolds. Mas qualquer pessoa que já tenha mestrado sabe que nenhum plano resiste ao encontro com seus jogadores.

O que se viu foi um encontro épico entre nossos intrépidos aventureiros e os kobolds.

O grupo foi formado por 2 jogadores, controlando 3 personagens:

  • Lightfoot, mago eladrin (que nós chamamos de elfo o tempo todo)
  • Thunder, paladino dragonborn
  • Frodo, ladino halfling (personagem "coletivo" para completar o grupo)

O primeiro encontro da noite foi contra 8 kobolds: 5 minions, 2 dragonshields e 1 slinger. No segundo turno o mago, cumprindo sua função, conseguiu matar todos os minions e tudo parecia caminhar de acordo com os planos. O que se seguiu foi uma mistura de inexperiência e algum azar dos jogadores e alguma sorte do mestre.

Muitos turnos de combate depois, Frodo foi reanimado várias vezes pelo Paladino que usou várias vezes sua habilidade "Lay on hands" no ladino até que os kobolds finalmente conseguiram deixar Thunder inconsciente. No fim do combate um "magic missile" de Lightfoot (o único que estava mais ou menos inteiro) deu fim ao último kobold a tempo de salvarem Thunder da morte, Frodo terminou a noite com 2 pontos de vida (porque os kobolds conseguiram errar 2 ataques contra ele).

Terminamos a noite aqui, acho que deu para mostrar como o sistema de combate funciona, infelizmente virou uma noite de rollplay e não roleplay porque a maioria das coisas girou em torno de um mapa e do combate que tem muito mais cara de jogo tático do que de roleplay mesmo.

Dungeons & Velociraptos 20-janeiro-2014

Segunda, 20 de janeiro de 2014, 19:30[editar]

Neste encontro do Dungeons & Velociraptors começamos jogando TopSecret(br) ensinados pelo mestre Luciano Ramalho enquanto esperávamos o resto do pessoal chegar.


Após isso, jogamos uma partida de Nyet contido na coletânea Mü and lots more

E finalizamos a noite jogando Ataque Pirata criado por um dos participantes, Maurício Gibrin!


Créditos dos links: Itiro

Dungeons & Velociraptors 13-janeiro-2014

Segunda, 13 de janeiro de 2014, 19:30[editar]

Nesse encontro do Dungeons & Velociraptors tivemos a participação do Itiro Kariya, jogador de RPG há vários anos, que nos apresentou dois sistemas de produção indie que ele costuma mestrar:

Um ponto de destaque nesses RPGs é que eles são simples e não exigem muito tempo na criação de fichas, tornando-os perfeitos para aventuras de apresentação e de um dia, possibilitando que as pessoas tentem jogar sem compromisso.

Durante a apresentação dos sistemas, o Itiro junto com o Shibuya explicaram o que significa o acrônimo GNS. Fica como sugestão para os que pensam em começar a jogar RPG: leiam sobre a teoria e escolham seu estandarte, isso pode ajudá-los e muito a encontrar o grupo certo para otimizar a diversão!

Depois das apresentações, com o Mauricio Gibrin já presente, começamos a parte de jogos de tabuleiro da noite. Ele trouxe os dois jogos escolhidos pelo pessoal, o Pit e o 7 Wonders.

Começamos com uma partida de Pit. Bem rápido, e teria sido mais rápido se o Samuel não tivesse entendido as regras ao contrário e ido contra a maré até comer bola e achar que tinha ganhado.

Depois partimos para duas rodadas do jogo 7 Wonders, com 7 pessoas (sim, tivemos a ilustre presença de todas as maravilhas!).

123D Circuits, GitHub e ticks no Arduino

No dia 08/01/2014, rolaram alguns assuntos interessantes no Garoa. Testamos o aplicativo 123D Circuits, sugerido na lista de discussão pelo Usuário:LucianoRamalho. Também tivemos um passo a passo de como criar um repositório controlado pelo Git, posteriormente enviando-o ao GitHub. Por fim também houve uma breve discussão sobre como medir intervalos de tempo dentro do Arduino (característica necessária ao software controlador do Relógio de Xadrez).

→ continuar lendo...

Dungeons & Velociraptors 06-janeiro-2014

Segunda, 6 de janeiro de 2014, 19:30[editar]

No primeiro encontro do D&V, houve a participação de mais de 10 pessoas. O evento começou com uma breve conversa sobre sistemas de RPG com o Willian Shibuya. Depois, chegaram a conclusão de que a montagem de fichas para jogar D&D com o kit trazido pelo Samuel iria tomar muito tempo, e então o foco foi voltado para jogos de cartas e de tabuleiro.

Como primeiro jogo, os presentes decidiram escolher algo que acolhesse todos os presentes que estavam dispostos a jogar (8 pessoas naquele instante). Por fim foi escolhido o jogo 6 Nimmt!, trazido pelo Mauricio Gibrin (junto com uma coleção de outros jogos). Ele explicou as regras e uma rodada foi jogada.

Depois da rodada de 6 Nimmt!, decidiram dividir o grupo em 2 subgrupos e escolher 2 jogos de tabuleiro. Os jogos escolhidos foram:

Nesse momento chegaram mais pessoas para o evento, que foram incorporadas no subgrupo do Trans Europa.

Foram jogadas duas partidas de Pandemic e uma partida de Trans Europa. Após a primeira partida de Trans Europa o jogo foi trocado, para o Hattrick. O Gustavo de Lucca fez o favor de ensinar os presentes a jogar, da mesma forma que fez com o Trans Europa.

Ficou combinado que no próximo encontro tentaríamos montar um grupo de RPG, em paralelo com as jogatinas de tabuleiro.

Também foi levantada a possibilidade de montar um grupo para fazer um custom map de Counter-Strike, com base nos arredores do Garoa.

Arduino 100 Noção 03-08-13

Retomando a atividade, com a montagem da "Metaboard 100 Noção".

Conheça as próximas edições da Co0L BSidesSP em 2013

Estamos planejando realizar mais duas edições da Conferência O Outro Lado - Security BSides São Paulo (Co0L BSidesSP), um evento sobre segurança e cultura hacker que faz parte do calendário global de conferências Security BSides.

As próximas edições acontecerão em Outubro e Novembro deste ano:


Logo bsides ed4.jpg


A Co0L BSidesSP H2HC Edition, que ocorrerá no dia 06 de Outubro de 2013 (domingo), será realizada novamente no mesmo espaço e em conjunto com a Hackers to Hackers Conference (H2HC), que neste ano comemora sua décima edição. Devido a limitações impostas pelo espaço aonde o evento será realizado, nesta edição teremos algumas restrições:

  • O público será limitado a apenas 100 participantes, que devem se inscrever previamente (até mesmo os participantes da H2HC que queiram ir na BSidesSP terão que se inscrever em nosso site!)
  • Teremos apenas uma trilha de palestras e uma trilha de oficinas
  • Serviremos alimentação para os participantes, mas será controlada e limitada apenas ao pessoal da BSidesSP. Diferente do que fizemos no ano anterior, desta vez não poderemos oferecer um "churrascker" para todos :(


Já a Co0L BSidesSP Black Hat Edition, que realizaremos no dia 24 de Novembro de 2013 (o domingo anterior a Black Hat Regional Summit São Paulo), seguirá o modelo da edição de maio deste ano, que realizamos em um espaço enorme cedido gentilmente pela FATEC de São Caetano do Sul (Fatec SCS). Por isso, pretendemos fazer um evento bem legal para todos:

  • Espaço grande com várias salas, fornecido pela <a href="http://www.fatecsaocaetano.edu.br/">FATEC de São Caetano do Sul (Fatec SCS)</a>
  • Teremos várias atividades em paralelo, incluindo
  • Duas trilhas de palestras técnicas
  • Lightning Talks
  • O "Garoa Village" e o "Techberto Room" (em homenagem ao Alberto Fabiano), com várias oficinas simultâneas
  • Sala de descompressão, com lojinhas
  • A segunda edição da “Hacker Job Fair”
  • “Churrascker” para os presentes.


Então, para não causar confusão na cabeça de ninguém, segue um resumo das novidades...


Em breve lançaremos o Call For Papers para os dois eventos, que será um CFP em conjunto (o palestrante escolherá em qual evento quer apresentar o seu trabalho).

A Conferência O Outro Lado Security BSides São Paulo (Co0L BSidesSP) é uma mini-conferência sobre segurança da informação e cultura hacker organizada pelo Garoa Hacker Clube como forma de divulgar o nosso espaço e, principalmente, promover a inovação, discussão e a troca de conhecimento entre os participantes e divulgar os valores positivos e inovadores da cultura hacker. A Co0L BSidesSP é um evento gratuito que faz parte das conferências “Security B-Sides” existentes em mais de 35 cidades de dez países diferentes, que são mini-conferências voltadas para a comunidade.

--Anchisesbr (discussão) 02h23min de 1 de agosto de 2013 (BRT)

Como foi a Co0L BSidesSP v5

No dia 19 de Maio de 2013 (um domingo ensolarado), o Garoa Hacker Clube realizou a quinta edição da Conferência O Outro Lado - Security BSides São Paulo (Co0L BSidesSP), como parte do apoio ao evento You Sh0t the Sheriff (YSTS), uma das mais importantes conferências de segurança brasileiras.

Nesta edição nós recebemos 196 participantes (incluindo palestrantes e staff) na FATEC de São Caetano do Sul, e trouxemos várias novidades, começando pela localização, a Hacker Job Fair e uma sala dedicada para lojinhas e "descompressão".

Sobre o espaço, nesta edição decidimos realizar a Co0L BSidesSP em um local externo, que desse a possibilidade de receber mais participantes e diversas atividades simultâneas com conforto. Embora nós gostemos muito da sede do Garoa, mesmo a nova sede não permitiria realizar tantas atividades com tantas pessoas. Assim, o evento aconteceu na FATEC de São Caetano do Sul, que gentilmente nos ofereceu a possibilidade de usar o auditório e as salas de aula. E ainda por cima ganhamos o gramado externo, que acabou sendo uma área excelente para o pessoal ficar ao sol, conversando, bebendo ou comendo.

O Alan Carvalho, coordenador e professor da FATEC SCS, nos procurou e ofereceu o espaço da faculdade, além de nos dar total apoio para a realização da Co0L BSidesSP lá, em conjunto com a Diretora, Profa e Dra. Adriane Monteiro Fontana. Durante o evento tivemos muita ajuda do pessoal da faculdade, em especial o coordenador e professor Adilson, o Dimas (também professor da FATEC SCS) e a encantadora Samara. Todos foram muito receptivos e colaboraram da melhor forma que puderam, contribuindo para o resultado obtido. A atenção que nos foi dada superou todas nossas expectativas e nos deixou muito satisfeitos pela opção que fizemos.


Participantes no gramado da FATEC SCS, aproveitando o evento para conversar.


O espaço da FATEC SCS nos permitiu dividir bem as atividades, com cada oficina ocorrendo em uma sala própria, espaçosa. As palestras foram realizadas no auditório e em uma sala específica, enquanto cada trilha de oficinas tinha uma sala própria para ela - tudo isso com muito espaço disponível para os presentes. Também tivemos uma sala dedicada para descompressão, com lojinha do SJC Hacker Clube e da Cervejaria Brau Von Hacker, além de uma piscina de bolinhas!


Foto panorâmica da Palestra sobre Lockpicking, do Victor Scattone, "mestre-lockpicker" do Garoa.


Com o apoio da Vagas.com.br, tivemos a primeira edição da "Hacker Job Fair", uma iniciativa para aproximar os participantes do mercado de trabalho.

Outra novidade foi que incluímos uma pequena pesquisa no formulário de inscrição, que nos permitiu traçar o perfil do público do evento. Nesta edição tivemos um total de 196 pessoas presentes, o que poderia ter sido maior se não fosse a alta quantidade de no-show: 47% dos inscritos não apareceram (o que é uma pena, pois eles tomaram espaço de pessoas que gostariam de ter vindo no evento). Pudemos perceber, pela pesquisa, que a maioria dos inscritos tem bastante experiência: 59% declararam que já trabalham na área e a média de idade foi de 27.9 anos.



Apesar disso, poucos participantes (cerca de 1/3 dos presentes) iriam participar da You Sh0t the Sheriff, o que mostra que nosso evento serviu como uma oportunidade para atrair este público de "excluídos". Apenas 25% já participaram de alguma das edições anteriores da Co0L BSidesSP, mas a grande totalidade considera o evento excelente, o que só faz aumentar a nossa responsabilidade em continuar oferecendo um evento de qualidade, com ótimas palestras, bem organizado e, ao mesmo tempo, descontraído.



A Co0L BSidesSP é uma mini-conferência sobre cultura hacker e segurança da informação organizada pelo Garoa Hacker Clube, que faz parte do circuito global de conferências “Security B-Sides” existentes em mais de 35 cidades de dez países diferentes. O evento é voltado para a comunidade, com diversas atividades distribuídas em duas trilhas de palestras técnicas e duas trilhas de oficinas. Veja aqui como foram todas as edições da Co0L BSidesSP.

A quinta edição da Co0L BSidesSP contou com o patrocínio da Trend Micro, da Cipher e da Tempest Security Intelligence, e foi realizada graças ao apoio da FATEC de São Caetano do Sul.

A próxima edição será no dia 06 de Outubro de 2013. Até lá :)

--Anchisesbr (discussão) 00h22min de 27 de junho de 2013 (BRT)

Hacks culinários

O que acontece quando hackers querem fazer pipoca para assistir o filme Matrix?

Como ainda não temos um botijão para nosso fogão, resolvemos usar um fogareiro elétrico.

Apesar de termos uma panela nova, resolvemos fazer primeiro usando uma latinha de alumínio, seguindo a dica do Instructables. Basta fazer uma abertura para a saída da pipoca na parte de cima, colocar o milho e o óleo (no nosso caso, usamos margarina e adicionamos um pouco de sal) e.... voilá!!!

Pipoca pronta!

Tirando algumas pipocas que queimaram por estarem no fundo da latinha, ficou bom!

Pipoca pronta!

Como se não bastasse, o Aylons resolveu usar uma estação de retrabalho para fazer um milho virar pipoca, e medir a temperatura em que isso acontece. Após alguns milhos queimados e algumas marcas na mesa, descobrimos que o milho vira pipoca quando a temperatura atinge em algum ponto entre 250 e 300°C, sempre com soprador na vazão máxima de ar. Aos 250°C o milho não estourava e aos 300°C ele queimava.

Queimando o milho para virar pipoca

Após estas experiências, nos rendemos a boa e velha panela de Teflon meia-tigela e fizemos as pipocas.

Fazendo o milho virar pipoca da forma tradicional

--Anchisesbr (discussão) 23h52min de 6 de abril de 2013 (BRT)

Nós Robôs 1-3-2013

Iniciando a nova versão do encontro Nós ROBOS, já na nova sede!

O diogenes levou umas coisas muito legais, ali naquela caixinha azul da felicidade: Um arduino que fala bluetooth com o celular, um led rgb que varia as cores de forma randomica e um display lcd pra enviar mensagens! além de motores de passo e outras coisinhas mais!


Nos robos 2013-03-01 1.jpg Foto do grupo, pela excelente companheira Ceci, que quer uma versão rosa do sapinho pra pintar e decorar!


Nos robos 2013-03-01 2.jpg Desmontando um servo e explicando como converter para rotação contínua!

Nos robos 2013-03-01 3.jpg Coisas que voam!!! Adoramos! Vou levar o meu na proxima reunião! Junto com o sapinho, claro!


Decidimos que o primeiro desafio a ser batido pelo grupo será o desafio do seguidor de linhas. Em breve iremos divulgar o tracado, e alguns escopos a serem seguidos.


Noite do Arduino - 28 fev 2013

Fechando o mês de Fevereiro, mais uma Noite do Arduino bem movimentada na nossa nova sede.

As brincadeiras não são apenas com Arduinos, abaixo o pessoal usando um Raspberry Pi (oculto atrás do projetor) para descobrir os MACs dos computadores conectados à rede WiFi do Garoa.

NA130228 1.jpg

A arrumação da nova sede continua, abaixo um sorridente Darth Solda mostra a primeira prateleira do laboratório de eletrônica, acompanhado da sua nova aprendiz. Acima das gavetas de componentes uma estante feita por Darth Oda. O lado negro é forte no Garoa!

NA130228 2.jpg

As doações não param de chegar e já está difícil de caminhar pelo nosso depósito.

NA130228 3.jpg

Na foto abaixo, agalebe executa uma função vital: a compra das pizzas. Administrador consciente, promoveu ontem um benchmark entre dois fornecedores.

NA130228 4.jpg

No final da noite, o laboratório de eletrônica já estava bem arrumadinho:

NA130228 5.jpg

Enquanto isso do outro lado do garoa...

IMG 1050.JPG

IMG 1052.JPG

IMG 1055.JPG

IMG 1056.JPG

IMG 1062.JPG

A Noite do Arduino acontece toda 5a feira no Garoa, a partir das 19:30.

Mutirão de Carnaval na sede Pinheiros

Nesse sábado de Carnaval uma turminha se reuniu na futura sede do Garoa, em Pinheiros, pra comer goiaba e dar sequência aos Mutirões_da_Sede_Pinheiros


Image00001.jpg

Tony pintando nosso logo na fachada

Image00002.jpg

O depósito, antes da limpeza

Image00003.jpg

Esse era o chão do depósito...

Image00004a.jpg

... e agora ele é assim. (Sem Photoshop GIMP)

Image00005.jpg

Doação da Cecília: Saboneteira Cupcake

Image00006.jpg

Churrasc, churrak, churskr... Churrascker!

Noite do Arduino 24 jan 2013

Na véspera do aniversário de SP, casa lotada. Vejam as fotos do porão 0:


Arduino130123 1.jpg

Arduino130123 2.jpg

Arduino130123 3.jpg

No porão 1, brincadeiras com o Raspberry Pi

Arduino130123 4.jpg

Arduino130123 5.jpg

Workshop "Arduino 100 Noção" 12 outubro 2012

Feriadão com tempo frio e chuvoso, mas o "100 Noção" lotou o porão 0. Confira abaixo as fotos.


100Nocao121012 A.jpg

100Nocao121012 B.jpg

100Nocao121012 C.jpg

100Nocao121012 D.jpg

100Nocao121012 E.jpg

100Nocao121012 F.jpg

« mais recentes ‹ 20 posteriores ... mais antigos »