Blog:Projetos

De Garoa Hacker Clube
Ir para: navegação, pesquisa

Posts sobre projetos realizados no Garoa | Todos os posts | Publicar um post aqui

Ao iniciar um projeto, crie também uma página para ele e liste-a em Projetos.

Ajude a manter o Garoa limpo

A limpeza do Garoa é responsabilidade de todos.

A sujeira no Garoa também é responsabilidade de todos.

Podemos ajudar a manter o Garoa relativamente limpo com alguns cuidados básicos:

Frequentemente encontramos baratas no Garoa. Aparentemente elas adoram os restos de comida que deixamos na cozinha.
  1. Deixe o Garoa melhor do que quando você chegou: Esta é regra básica de boa convivência. Ou seja, todos podem ajudar a manter o espaço limpo e organizado, se todos fizerem um pequeno esforço para isso. E se todos cuidarem de sua própria bagunça e sujeira.
  2. Usou, guardou: Após usar um equipamento, ferramenta, componente ou qualquer coisa, guarde de volta aonde você encontrou. Preferencialmente, guarde de volta no lugar correto.
  3. Sujou, limpe: Sempre que usar algo na cozinha (pratos, panelas, talheres, copos, etc), limpe após usar. Jogue o seu lixo no lixo: guardanapos usados, embalagens vazias, pedaços de fios e de fitas, papel usado, restos de comida, etc.
  4. Jogue o lixo no lixo: é incrível a quantidade de lixo e tralha que encontramos no chão, em cima das mesas, na geladeira, nos cantos, etc. Isso vale também para caroço de azeitona.
  5. Encontrou algo sujo, limpe: é responsabilidade de todos nós. Encontrou um papel no chão? Jogue no lixo. Alguma coisa fora do lugar? Guarde no local correto.
  6. Mantenha as coisas em seus devidos lugares: Várias gavetas, potes e caixas tem indicação do que deve ser guardado lá. Isto ajuda a manter o espaço organizado e facilita encontrar algo quando necessário.
  7. Coloque o Lixo para fora: Quando a lixeira entupir, não adianta tentar colocar mais lixo dentro dela. Retire o saco de lixo, coloque um saco novo na lixeira e leve o saco de lixo para fora.

As regras acima são relativamente óbvias e não precisariam ser citadas, se as pessoas fizessem isso.

O Garoa é um espaço coletivo. Por isso, a responsabilidade pela sua manutenção é de todos nós.

Vem aí o Garoa Dojo Shield

O Garoa Dojo Shield é uma placa de expansão (shield) criada para realizar atividades didáticas com o Arduino UNO e compatíveis, tais como o EasyBlack.

O Garoa Dojo Shield foi desenvolvido pelo Luciano Ramalho, do Garoa, em parceria com o Laboratório de Garagem para que ele possa ser facilmente utilizado no Coding Dojo com Arduino, uma atividade didática que o Garoa vem realizando desde 2012. Basta plugar um Arduino no shield e sair programando, sem a necessidade de componentes adicionais para fazer exercícios básicos de programação.

O maior display de 7 segmentos que cabe em um shield, um potenciômetro e um LDR: tudo que você precisa para um Coding Dojo com Arduino Shield projetado e fabricado pelo Lab de Garagem, inspirado pelo painel Dojo XXL do Garoa.

A placa contém:

  • um display de 7 segmentos e ponto decimal com leds vermelhos.
  • um potenciômetro de 10KΩ.
  • um LDR (sensor de luminosidade).
  • 9 resistores para fazer o display e o LDR funcionarem.
  • conectores (headers) para ligar mais componentes.

É fácil conectar outros sensores e/ou atuadores externos ao Garoa Dojo Shield, através de jumpers comuns para conectar um circuito montado em um breadboard, possibilitando outros experimentos e desafios.

O shield está a venda no site do Laboratório de Garagem. Para maiores informações visite a nossa página sobre o Garoa Dojo Shield.

CNC 13-fev-14

Na Noite do Arduino de 13/02/2014 fizemos mais um teste da nossa CNC, usando uma nova fresa:

http://youtu.be/VvdFTzGlEus

Neste vídeo vemos o começo da gravação de uma moeda com a esfinge de um dragão em alto relevo.

Garoa ChurrasPrint 3D

Em uma bela noite de Churrascker de despedida do Aylons no Garoa, estávamos sentados na Biblioteca quando o Ramalho aparece com um MaKey MaKey em uma mão e uns espetinhos de churrasco na outra, perguntando o que iríamos controlar com aquilo. Olhei para o lado e vi a Esponja do Mar sobre a mesa. Deu nisso:

{{#ev:youtube|https://youtube.com/watch?v=RpaGMYFaeko%7C%7Ccenter%7CGaroa ChurrasPrint 3D em ação}}

link direto

Código fonte aqui.

Se alguém tiver fotos, favor upar aqui. Se não foi blogado, não aconteceu!!

O Maior Legado do Alberto Fabiano

Recentemente fomos informados pelo pessoal do Ministério Público Federal (MPFe) que o parecer do senador Pedro Taques (PDT-MT), que foi apresentado no final de Agosto deste ano na Comissão Especial de Reforma do Código Penal, acolheu, integralmente, todas as sugestões que foram feitas pelo MPFe e pelo Garoa para o capítulo de crimes cibernéticos.

O projeto do Novo Código Penal (PLS 236/2012) representa uma importante oportunidade para revisar a legislação existente sobre crimes cibernéticos, que foi aprovada no final de 2012 e ficou conhecida como "Lei Carolina Dieckmann". A maioria das leis revisadas sobre crimes cibernéticos foram colocadas em um capítulo específico do Novo Código Penal, que foi batizado de "Título VI – Dos Crimes Cibernéticos". E há várias novidades e melhorias importantes:

  • Para evitar má interpretação futura, neste título foram definidos alguns conceitos do mundo da informática e dos crimes informáticos próprios. Embora o CP normalmente não tenha definições de conceitos, eles foram incluídos no caso de crimes cibernéticos em razão dos aspectos técnicos envolvidos e do pouco conhecimento popular sobre o assunto, de modo a orientar a correta interpretação da lei. Estes conceitos são semelhantes aos existentes na Convenção de Budapeste.
  • O artigo sobre acesso indevido (Art. 209) melhora o art. 154-A da Lei Carolina Dieckmann: ele fala em "acesso" em vez de "invasão", exige dolo específico (a finalidade de destruir, adulterar ou obter dados ou instalar vulnerabilidade para obter vantagem indevida) e retira a exigência anterior de que o sistema informático seja "protegido" - algo que é facilmente questionável e pode desqualificar o computador de um usuário comum, que muitas vezes não conta com medidas de segurança adequadas.
  • No artigo que trata sobre a punição de quem produz, comercializa, manipula ou vende artefatos maliciosos, tivemos uma importante conquista: foram incluídos alguns excludentes para evitar a punição de profissionais, pesquisadores e desenvolvedores que trabalham com segurança e que investigam artefatos maliciosos para aperfeiçoamento dos sistemas de segurança.

Em Maio deste ano, o Alberto Fabiano entrou em contato com o pessoal do Grupo de Trabalho de Crimes Cibernéticos do Ministério Público Federal e montou um núcleo de estudos no Garoa para colaborarmos na revisão do texto das Leis de Crimes Cibernéticos no projeto de Novo Código Penal. Fomos muito bem recebidos pelo MPF e pudemos ajudar com muitas sugestões e opiniões. O Alberto teve um papel fundamental nesse processo, fazendo a ponte entre o pessoal do Garoa e do MPF, coletando, revisando e centralizando nossas contribuições. Nossa discussão foi feita através da lista de discussão do Garoa, de um Piratepad e documentado em nosso wiki. Com isso, tivemos a oportunidade de influenciar na revisão da lei, tornando-a mais precisa e mais justa.

A íntegra do parecer foi disponibilizada no site do Senador Pedro Taques, que foi o relator do projeto de lei que reforma o Código Penal Brasileiro. Ele inclui a redação sugerida para o Novo Cógido Penal e, em particular, para o capítulo sobre crimes cibernéticos.


--Anchisesbr (discussão) 23h22min de 21 de setembro de 2013 (BRT)

Começamos a Horta do Garoa

No sábado dia 06 de Abril de 2013 demos início a horta do Garoa.

Preparamos os dois primeiros vasos, um com mudas de alface e outro com mudas de tomate. Tínhamos pedras para preparar apenas quatro vasos, mas somente muda para os dois primeiros.

O Diógenes trouxe as mudas que havia preparado em casa, e também trouxe algumas mangueirinhas e conectores próprios para micro-irrigação. Usamos terra que o Diógenes e o Rafael trouxeram, e um pouco de pedras de argila

Mudas para a horta do Garoa preparadas pelo Diógenes

Como preparar as mudas a partir das sementes:

  • Colocar terra em meio copinho de café, com um furo no fundo
  • Colocar a semente (se for semente comprada pronta, em saquinho, coloque uma por copinho; se for semente extraída da fruta/planta, coloque algumas)
  • Dependendo da planta, deve ser colocado um pouco de terra por cima (vale para alface. Tomate e morango devem ficar sobre a terra)
  • Mergulhar os copinhos em uma tigela com água, para umedecer a terra
  • Retirar os copinhos da água esperar escorrer o excesso de água e tampar com um filme plástico.
  • Deixar descansar por uma ou duas semanas, até a semente começar a germinar. Neste momento, retirar o filme plástico.
  • A muda estará pronta assim que atingir um tamanho mínimo. No caso do alface, o ideal é aguardar até nascer 5 folhinhas.

Inicialmente preparamos quatro vasos usando vasos tradicionais: basta colocar uma camada de pedra no fundo e completar com terra. Tínhamos pedra para apenas 4 vasos.

Diogenes preparando os vasos

O Rafael também nos ensinou a fazer um vaso com garrafa PET que armazena a água: basta cortar a garrafa PET abaixo da metade. Colocamos a parte inferior, invertida, por dentro da parte inferior da garrafa, de forma que o bico encontre no fundo. Colocamos um pouco de pedra cobrindo o bico e completamos com terra. Faça dois pequenos furos na garrafa na altura das pedras, para que o excesso de água possa escoar e não entrar em contato com a terra do vaso. Desta forma, a parte interna do vaso (formada pela metade superior da garrafa) fica com a terra e criamos uma espécie de câmara interna aonde será acumulada água para garantir a irrigação do vaso.

Vasos com garrafas PET

O Diógenes trouxe canos e conectores próprios para micro-irrigação,que ele comprou em loja especializada. Conectamos o cano na torneira e colocamos os terminais nos dois vasos. Para limitar o gotejamento, o Diógenes colocou pedaços de bucha dentro do cano, pois a pressão da água na torneira do jardim é muito grande.

Deixamos vários copinhos com mudas de alface nas batentes das janelas, que serão nossos "berçários". No próximo encontro verificaremos o crescimento delas e, se estiverem prontas, plantaremos nos demais vasos. Ao final, plantamos algumas sementes de cenoura em uns copinhos, para germinarem.

Preparamos algumas placas de identificação para os vasos usando palitos que sobraram do churrasco e papelão de caixas de garrafa de Heineken (reciclagem!!!).

Plaquinhas de identificação da horta

Ao final, deixamos os quatro vasos no quintal, com o gotejador funcionando.

Horta do Garoa

--Anchisesbr (discussão) 21h38min de 6 de abril de 2013 (BRT)

Capacimetro Funcionando

Neste feriado de 1o de maio o projeto do Capacímetro que será apresentado em Oficina na Virada Hacker foi encerrado. Abaixo uma foto da montagem:

Capacimetro.jpg

Filmagem do projeto calibrador de projetor

Neste sábado, 25/02, ocorreu a filmagem do projeto "Calibrador de projetor de vídeo" nas dependências do Garoa.

O objetivo desse projeto é criar uma solução de baixo custo para ajustar a imagem projetada por um computador de acordo com a posição e a superfície da tela de projeção.

Mais detalhes no link do projeto na wiki

Calib projector 1.jpg

O que fazemos no Garoa?

Inspirados pelo pessoal do Hackerspace de Baltimore, nós do Garoa Hacker Clube adaptamos uma imagem que resume, de uma forma engraçada e descontraída, como as pessoas em geral enxergam um hackerspace como o Garoa:

Garoa o que fazemos.png

Turing na parede

Como parte do projeto Decoração - Stencil, o Juca fez um stencil com a foto de Alan Turing, usando três máscaras diferentes.

Stencil do Alan Turing, vigiando a entrada do Garoa


O stencil usou 3 camadas diferentes: a base foi feita em magenta (rosinha), seguido pelo branco para dar destaque para o brilho e, finalmente, pelo preto para fazer as sombras.

A imagem foi vetorizada no Inkspace, impressa em folhas A4 e cortadas com estilete.

Foto do Alan Turing utilizada para preparar as máscaras de stencil

Para a base, utilizamos tinta para tecido, pois era a única que tínhamos na cor magenta. em seguida aplicamos tinta spray branca e preta.

Fazendo o stencil do Alan Turing - Teste da 1a camada
Teste da segunda camada, com tinta spray branca para fazer o brilho
Desenho final da versão de teste do stencil, após aplicar a máscara das sombras, em preto

LegoLed

Inspirado pelo Dia do Saci e pelo Evil Mad Scientist Laboratories, neste final de semana o Darth Oda fez nosso primeiro bonequinho de Lego customizado com led (que eu chamei aqui, provisoriamente, de "LegoLed").

Nosso primeiro bonequinho de Lego com led

Na noite da festa do H2HC no Garoa, o Anchises doou alguns bonequinhos de Lego, e o Darth Oda prontamente pegou nossa driemel para fazer o rosto e o buraco entre o corpo e a cabeça, aonde foi encaixado um led vermelho. O pescoço do boneco foi retirado e a cabeça é presa ao corpo pelo próprio led. Uma bateria foi colocada nas costas do boneco, coberta por uma capa.

Nosso primeiro bonequinho de Lego com led
Nosso primeiro bonequinho de Lego com led

Vamos construir uma laser cutter para o Garoa!

Depois de frequentar o Metalab por algumas semanas aqui em Viena, cheguei à conclusão de que uma laser cutter é um item fundamental para um hackerspace. Com uma laser cutter, uma impressora 3D, uma CNC e o equipamento para confecção de PCBs, o que podemos construir fica praticamente ilimitado.

Há algum tempo cheguei a orçar algumas laser cutters, mas o preço era sempre proibitivo. A Epilog do Metalab, por exemplo, custou cerca de €25k. A FullSpectrum do Noisebridge é bem pequena, mas parece um bom negócio (US$2k) até o momento em que somam-se a ela o frete e os impostos, o que dobra o preço. Realmente não compensa o esforço.

Lasersaur.jpg

Mais ou menos na mesma época em que estava pensando nisso fiquei sabendo da Lasersaur, uma laser cutter DIY que ainda estava sendo projetada e que havia sido financiada pelo Kickstarter. Segundo o site do projeto, o desenvolvimento já está 88% concluído, mas eles mesmos já construiram 3 Lasersaurs e já tem gente construindo as suas próprias. Quando estiver concluído o projeto completo (arquivos CAD, etc) será liberado ao público, mas quem contribuiu no Kickstarter já tem acesso a ele.

Em poucas palavras, a Lasersaur é uma laser cutter que pode ser construída "em casa" com peças encontradas com certa facilidade no mercado, à exceção de algumas peças customizadas que devem ser cortadas... a laser. Ou seja, ela é auto-replicável, assim como a RepRap. Segundo seus criadores, ela pode popularizar as laser cutters assim como as impressoras 3D foram popularizadas por projetos como Makerbot e RepRap.

Então eu estava à toa no Metalab, aprendendo a mexer na laser cutter deles, e pensei: por que não podemos ter uma laser cutter? Temos que ter uma. E vai ser muito mais legal se construirmos uma! Como já sabia do projeto e tinha essa ideia de construir uma laser cutter na cabeça há algum tempo, nos dias seguintes eu comecei a pesquisar mais a fundo sobre o tema e, seguindo uma sugestão do Juca, aproveitei que ainda estava em Viena e cortei um lote de peças customizadas da Lasersaur:

Pode ser que essas peças nem venham a ser usadas pois por falta de material cortei em uma placa de acrílico de 5mm, diferente dos 6mm especificados no projeto. Além disso algumas peças não ficaram muito boas, provavelmente devido à minha pouca experiência no uso da laser cutter. Mas já serviram como o empurrão para começar um projeto que já queria fazer há tempos.

A principal novidade, ao menos dentro do escopo de projetos do Garoa, é que pretendemos financiá-lo colaborativamente, ou seja, via crowdfunding. Os apoiadores, além do orgulho de terem contribuído para a primeira laser cutter construída em um hackerspace brasileiro, ganharão brindes que vão desde um adesivo, passando por um chaveiro cortado a laser até o uso da máquina a custo zero enquanto ela existir.

Por outro lado, além de simplesmente construir uma laser cutter, vamos documentar todo o processo detalhadamente, procurar fornecedores locais e "fazer o caminho das pedras", o que diminuirá a barreira para que outros hackers e hackerspaces do Brasil construam as suas próprias máquinas, popularizando o Open-source Hardware (OSHW). Além disso, quando pronta, a máquina ficará disponível para uso a preços módicos (prática recorrente em outros hackerspaces que possuem a ferramenta), tornando o caríssimo serviço de corte a laser mais acessível para a toda a comunidade de hackers, makers, gambiarreiros, artistas e inventores.

A página do projeto no nosso wiki já tem bastante coisa, mas ainda temos muito a ser feito e o cronograma está bem apertado. Sim, a coincidência do fim do projeto com os 31.536.000 segundos da Fundação do Garoa HC foi totalmente proposital! Todos que quiserem ajudar serão bem vindos. Semana que vem, quando estiver de volta ao Brasil, vou abrir uma Call for Padawan, e participar desse projeto será parte do processo de integração.

Enfim, será um projeto caro e trabalhoso, mas somos hackers e vamos construir uma laser cutter no nosso porão "because we can"!!1 (COOPER, S. L. et al., 2008)

Interwikando

Interwikis são uma maneira simples de fazer uma ligação para uma página de um wiki externo sem ter que colar a URL inteira, com uma sintaxe similar à de links internos.

No MediaWiki é possível configurar interwikis manualmente ou ainda usar uma ou mais extensões.

Há algum tempo lancei na lista do Garoa a ideia de configurarmos os wikis de todos os hackerspaces brasileiros:

On Sat, Aug 27, 2011 at 2:01 AM, Rodrigo Rodrigues da Silva
<pitanga@members.fsf.org <mailto:pitanga@members.fsf.org>> wrote:
> 
>     Percebi que tanto o Fundação quanto HSSJC estão usando mediawiki. Um
>     recurso interessante que me veio à mente agora é o uso do recurso
>     interwiki[0], que permite ligar páginas de wikis diferentes de uma
>     maneira muito simples, tipo [[GHC:Projetos]].

SJC e LHC implementaram a ideia prontamente, e agora, depois de alguma enrolação, implementei-a no wiki do Garoa. Usei interwikis excessivamente num post sobre a TGIMBOEJ just for the lulz.

Alguns exemplos de interwikis configurados no wiki do Garoa (veja o código fonte da página):

tgimboej:

HSSJC

FHS

LHC

Lista de todos os hackerspaces do mundo em hackerspaces.org

Página sobre o Metalab na Wikipedia Anglofônica

wpt:Página Principal

Página inexistente do Garoa na wikipédia


The Great Internet Migratory Box Of Electronics Junk

TgimboejLogo.png

TGIMBOEJ, ou The Great Internet Migratory Box Of Electronics Junk, ou simplesmente A Caixa é o que o nome diz: uma caixa itinerante de tranqueiras eletrônicas. Você recebe a caixa, pega o que lhe interessar, coloca mais algumas tranqueiras que tiver sobrando em casa e manda para o próximo destinatário pelo correio ou qualquer outro meio.

O projeto foi iniciado em 2008, e há cerca de uma semana uma Caixa, iniciada pelo Alex do Hackerspace-SJC, começou a rodar o Brasil.

No momento a caixa deve estar para chegar no Laboratório Hacker de Campinas, e já há uma lista de novos destinatários.

Saiba mais sobre a TGIMBOEJ no site oficial, e acompanhe o andamento da caixa que saiu de SJC.

obs: além de eu achar a ideia animal, esse post foi uma desculpa descarada para testar o recurso de Interwiki, que facilita a criação de links para outros wikis. Veja o código fonte do post!

Noite do Arduino de 2011-08-18

Mais brincadeiras com sensores. Um deles foi um detector de chama:

SensorDeChama.jpg

obs: post originalmente publicado por DQ no finado wordpress

Display Epoch remodelado

O display “Epoch” (que indica o número de segundos desde a fundação do GHC) foi remodelado para ficar mais prático e robusto. O display e a placa de controle foram fixados em uma base (um retalho de piso “de madeira”):

EpochRemodelado.jpg

Foi também acrescentada uma pequena fonte de alimentação, para permitir ligar diretamente na tomada:

EpochFonte.jpg

obs: post originalmente enviado por DQ no finado wordpress

Um híbrido de wiki e blog

Ter um blog para escrevermos sobre as novidades, Projetos e Eventos é uma vontade antiga do pessoal do Garoa. O wiki é um espaço legal para informação dinâmica, mas não há a ideia de temporalidade e sequência - algo legal para documentar eventos ou interações específicas com um projeto, algo como "o que eu fiz hoje no projeto tal".

Poderíamos simplesmente colocar um wordpress no ar e começar a postar (algo que na verdade já fizemos, vide http://garoa.net.br/blog), mas desde que pensamos em criar um blog venho buscando uma maneira de ter algo integrado ao wiki (algo extremamente desejável, dada a quantidade de informação que temos aqui) e que de quebra evite a dor de cabeça de manter mais um software no servidor.

Pois bem, a extensão Wikilog do MediaWiki é exatamente o que eu estava procurando. Em poucas palavras, essa extensão que adiciona funcionalidades de blog a uma área específica do wiki, transformando-o num híbrido wiki-blog. Além da integração transparente com o wiki, outra vantagem imediata que vejo é que os posts podem ser criados colaborativamente, isto é, por mais de um autor, como qualquer artigo do wiki.

Para criar um post é muito fácil:

  • Primeiro acesse a home do blog em que quer publicar: Blog:Anúncios, Blog:Projetos ou Blog:Eventos
  • Clique na aba wikilog na parte superior da tela (se não estiver vendo é porque ou você está na página errada ou não está logado)
  • Na caixa Adicionar entrada de wikilog coloque o título do seu post e depois clique em adicionar
  • Crie o seu post como se fosse criar um artigo qualquer no wiki
  • Não se esqueça de assinar com --~~~~, caso contrário seu post ficará marcado como rascunho e não será publicado.

Maiores detalhes na documentação completa.

Instalei a extensão em 5 minutos, e em mais 5 aprendi a usar o básico. Vamos ver no que vai dar. Espero que mais posts logo apareçam por aqui.

Nasce um hotplate

No Hackday, Aylons “destrói” o ferro de passar doado pelo Tony e inicia a construção de um hotplate para soldagem de componentes SMD:

HotPlate.jpg

Obs: post originalmente feito pelo DQ no wordpress. Migrei para cá pra testar.