Dumont Hackerspace na Campus Party 2019

De Garoa Hacker Clube
Ir para: navegação, pesquisa
Dumont.svg

A Campus Party Brasil (#CPBR12) será realizada no Expo Center Norte em São Paulo entre os dias 12 a 17 de Fevereiro 2019. A Campus Party é o maior acontecimento tecnológico do mundo nas áreas de inovação, ciência, cultura e entretenimento digital, reunindo milhares de pessoas - os campuseiros. Os participantes acampam com seus computadores dentro de uma arena, onde convivem em torno de oficinas, palestras, conferências, competições e atividades de lazer.

Durante a Campus Party 2019 pretendemos repetir as experiências de 2015, 2016,2017, e de 2018, realizando o Dumont Hackerspace em conjunto com representantes de diversos hackerspaces, makerspaces e coletivos brasileiros.

Será um espaço na área de Campuseiros, aonde vamos oferecer uma experiência próxima a que um autêntico hackerspace pode lhe dar:

  • Um espaço dedicado para centralizar os hackerspaces e makerspaces brasileiros e fomentar a cultura hacker e maker durante a Campus Party
    • Participação de Hackerspaces e makerspaces de todo o Brasil
  • Promover atividades que forneçam conteúdo de qualidade aos participantes da CPBR
    • Diversas atividades multidisciplinares e educativas como oficinas, palestras, mini-palestras, debates, jogos, competições, etc


Detalhes

Avisos e Novidades

  • Grade de atividades em constante construção
Cpbr12 dumont2.jpg
Cpbr12 dumont.jpg

O que é o Dumont Hacker Space

O Dumont Hackerspace surgiu em 2014 para ser um espaço autônomo e itinerante, idealizado pela comunidade brasileira para existir como um meta-hackerspace representando o movimento hacker temporalmente dentro de diversos eventos de grande porte. A primeira edição do Dumont Hackerspace aconteceu no FISL15, em 2014.

Hackerspaces participantes nesta edição do Dumont

Os hackerspaces, makerspaces e coletivos interessados em participar podem nos ajudar a tocar o Dumont Hackerspace durante a Campus Party: oferecendo atividades (oficinas, palestras, etc), ajudando nas demais atividades marcadas, e ficando no nosso espaço parte do tempo para garantirmos que sempre terá gente. Além disso, os hackerspaces, makerspaces e coletivos podem trazer material para divulgação, tais como folhetos, banner, algum brinde, etc. (não adianta levar coisas para vender pois não é permitido e a grande maioria do público da CPBR não compra nada!).

Nota: Se você faz parte de um hackerspace ou makerspace e deseja ser representado no Dumont Hackerspace, entre em contato pela lista de discussão: hackerspaces-br@googlegroups.com

Como participar com sua comunidade?

Para participar, basta chegar na nossa mesa e colar junto! Veja as atividades que temos planejado e fique a vontade para fazer alguma bagunça espontaneamente.

Aonde estamos?

Temos uma bancada dedicada para o Dumont ao lado do "OVNI", o centro de operações do time de redes/tecnologia da CPBR. Para quem está na entrada da arena da CPBR, siga o corredor principal e estaremos logo após o OVNI (a sua direita no corredor), em um conjunto de bancadas junto também com o pessoal do CTF-BR.

Ajude a Divulgar

Ajude a divulgar o Dumont Hackerspace:

As nossas bancadas serão identificadas com o logotipo do Dumont e também com banners.

Agenda de atividades

Atividades

Local:

  • As oficinas, jogos e mini-palestras serão realizadas nas mesas dedicadas ao Dumont Hackerspace

O espaço do Dumont é livre para trabalhos, trocas de informações e bate papos, uma vez que nele estarão frequentando diversos hackers. Nenhum conhecimento prévio é necessário para participar das atividades: se você precisar de orientação por onde começar em qualquer área de tecnologia estaremos lá para te ajudar, seja qual for a área, nós hackeamos. Se você não tiver idéia do que quiser aprender ou fazer, nós também teremos diversas sugestões.

Atividades Confirmadas

Quarta-Feira - 13/02

Horário Quem minibio Projeto Descrição
11h00 Daniel Pimentel Debian Packager Debian Packager Nessa palestra vamos aprender a empacotar e contribuir com a comunidade Debian.
13h00 Fernando Ribeiro Aguilar Fernando Ribeiro está interessado na interseção entre tecnologia, arte e psicologia. Ele desenvolve software com um propósito maior. Seu trabalho tem sido exibido internacionalmente em todo o Brasil e Europa, incluindo no Museu Nacional Da República, #16 Art, Media Lab/UnB, Rock in Rio 2017, Planetário de Brasília e muito mais. Atualmente ele é instrutor de ciência da computação e robótica para crianças. Oficina: Criando um CHAOS GAME com p5.js Neste desafio de programação, implementaremos o "Chaos Game" no editor web p5.js. A oficina terá duas partes, a primeira parte usa três pontos de semente e resulta no famoso Triângulo de Sierpinski. Na segunda parte do desafio de codificação "Chaos Game", variamos o número de pontos semente, a probabilidade e porcentagem para gerar outros padrões de fractais.
17h00 Erick Emiliano de Lima Técnico em Informática, trabalha hoje como programador. Entusiasta de segurança e privacidade, participa de varias conferencias brasileiras sobre o segurança/tecnologia e já palestrou em alguns. É frequentador do Garoa Hacker Clube. Privacidade e Criptografia: Encriptando Tudo! Proteger a privacidade nos dias atuais é um desafio, e ainda maior quando temos informações pessoais, dados sensíveis/confidenciais ou até mesmo quando estamos sob vigilância. É possível ter um S.O. todo Criptografado? Como podemos nos comunicar de forma segura? Posso criptografar um Pen-Drive? Nessa Palestra, serão expostas formas rápidas e fáceis de proteção pessoal e criptografia, passando por encriptação de sistemas, discos rígidos e removíveis, arquivos, dispositivos, além de criptografia para e mail e comunicação mobile, com ferramentas que podem ser utilizadas no nosso dia-a-dia com facilidade, desmistificando pré-conceitos com criptografia e garantindo a segurança desses dados mesmo em mãos erradas.
19h00 André Cardoso Albuquerque Fundador e Coordenador do Robótica Suste Batalha de Robôs Sustentáveis - Estoura Balão Uma batalha com robôs feitos a partir da metarreciclagem e circuitos em papelão.
22h00 Emerson Rocha Alves Desenvolvedor em VR e Jogos Mobile Como Criar Jogos Mobile Com Unity3D Quantas pessoas já pensaram em criar um jogo mobile, mas ficaram receosas no momento de por a mão na massa por achar complicado e difícil? O objetivo dessa atividade é por meio de demonstrações provar que utilizando a ferramenta certa (nesse caso o unity3D) qualquer pessoa com determinação pode fazer seu próprio jogo mobile. Para essa atividade será demonstrado como fazer um jogo simples do zero, o objetivo é utilizar o mínimo de programação e o máximo de recursos da própria ferramenta para que pessoas que tenham baixo/nenhum entendimento de programação também possam acompanhar e se interessar. O Unity3D é uma ferramenta poderosa com a qual é possível criar todo tipo de jogo, seja ele um rpg, fps, estratégia, 3d, 2d, as possibilidades de criação é sua imaginação e sua habilidade.

Quinta-Feira - 14/02

Horário Quem Minibio Projeto Descrição
00:00 Capi Etheriel Capi Etheriel é mentor em tecnologias web, contribuidor de softwares livres e integra a trupe do Ônibus Hacker. Desenvolvendo jogos em múltiplas telas Soluções livres (e simples) pra desenvolver jogos para múltiplas telas usando tecnologias web.
01h15 Luiz Fernando Pesce Tecnólogo Mecânico de Produção; Técnico Eletrônico Radioamadorismo & Eletrônica A palestra "Radioamadorismo & Eletrônica" não apresenta os passos que devem ser tomados para ser um Radioamador, mas sim propõe como uma pessoa com conhecimentos básicos em Eletrônica pode se aproveitar da sua prática e adotar com um custo baixo o Radioamadorismo como um apaixonante hobby.
09h30 Thiago Rabaioli Leal da Silva Instrutor de informática Scratch - Programação para Iniciantes Criação de jogos em scratch
11h00 Thiago Sodré Profissional de Educação no cargo de instrutor de informática, formado em administração e pós graduado em gestão de negocio. Projeto Taturana - Luta Sumô "Breve Descrição do Projeto e Como os Robôs são Controlados Separação de Chaves e Luta Sumô com Robôs do Projeto Taturana"
15h00 Charles Alencar Cabra da peste, Co-fundador do 0xE Hacker Club, pós graduando em Segurança da informação e especialista em redes. OpenWrt: Um universo na palma da mão Uma das atividades que costumamos realizar no Hacker Space é explorar a funcionalidade de alguns equipamentos, o preferido da turma é modificação do firmware de roteadores, passando a utilizar uma versão de linux para implantar novos recursos a um equipamento, que chega a caber na palma da mão. Além de prover acesso a rede, conseguimos montar Proxy TOR, central multimídia, servidor, web, PirateBox, mostrar como funciona o processo para reverter o equipamento após brickar entre outras coisas.
17h00 Nano Gennari Piloto, formado em física computacional, youtuber, programador e hacker nas horas vagas. Por baixo do capô da comunicação entre micro controladores: UART, SPI, i²C e 1-wire. Uma olhada na prática de como funcionam os principais padrões de comunicação utilizados pelos nossos microcontroladores e placas de desenvolvimento: UART, SPI I²C e 1-wire.
19h00 Sidiney da Silva Profissional de Educação no cargo de instrutor de informática, formado em administração e pós graduado em gestão de negocio. Circuito em papel Com papel sulfite, dupla face, papel alumínio, giz de cera,
22h00 Allan Kardec Cunha Allan Kardec CunhaAllan Kardec é graduando em Ciências e Tecnologia(UFERSA) e formado em Técnico em Informática, com ênfase em Redes (IFRN, 2014), atual coordenador da comunidade virtual FSociety Brasil, manager do curso ‘Como Hackear’ da H4K Security, coordena o grupo de pesquisa em Magnetismo e suas Aplicações na UFERSA - Caraúbas e membro do Jerimum Hackerspace. Mantendo-se em atividades nas áreas Maker, Cloud Computing, Hacking, Web Developing e Segurança da Informação. Oficina de Mixagens (DJ) Tem duvidas do que um DJ faz? Acha que é apenas selecionar musicas e dar play? Venha aprender como fazer mixagens de musicas, produzir seu primeiro set mixado, e saia pronto para tocar na festina dos seus amigos.

Sexta-feira - 15/02

Horário Quem Minibio Projeto Descrição
00h00 Rodrigo Camelo Silva Um design que gosta de acessibilidade Design gráfico e protótipos de atividades adaptadas para módulos e palicativos móveis voltadas para estudantes com autismo com base nas premissas do ensino estruturado Nossos objetivos foram voltados a auxiliar no processo de alfabetização, através da confecção das atividades adaptadas voltadas ao ensino de habilidades de matemática, como número e quantidade, soma, sequência numérica, sequência lógica, enigmas, bem como módulos de português, como separação de sílabas, bingo de letras e palavras, dentre outros. Todo o material produzido utilizou cores vivas e elementos gráficas para chamar a atenção dos meninos. Além disso aproveitamos as interfaces gráficas elaboradas para utilizá-las no desafio de criar um jogo da memória totalmente adaptado para esse público. O resultado foi muito proveitoso com a criação de mais de 12 módulos de atividades totalmente intuitivos e adaptados. Como os atendidos não são capazes de avaliar o produto final, pois muitos não falam, lançamos mão do feedback dos terapeutas da associação, que foi bem positivo, sinalizando que o projeto atendeu as demandas necessárias para o progresso do público-alvo. Além disso o jogo está em fase final de desenvolvimento, faltando apenas poucos detalhes ser disponibilizado para toda a comunidade.
01h15 Angela Maria de Souza "Graduada em Pedagogia pelo Centro de Ensino Superior de Maringá (2018) e em Tecnologia e desenvolvimento de Sistemas pela Faculdade Alfa Brasil (2009). cursando Especialização Lato Sensu em Educação, Tecnologia e Sociedade Introdução de Robótica nos anos iniciais fundamental "Projeto desenvolvido na Rede Municipal de Ensino de Cascavel, consiste em introduzir os alunos no mundo da eletrônica e robótica, ligação de circuitos liga desliga, conexão com o motor, colocação do pendulo de vibração, montagem do robô e oficina criativa para criar identidade ao mesmo.

"

09h30 Mari Simone Gonçalves de Lima Possui graduação em Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistema pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná e curso-técnico-profissionalizante em Normal Médio - Formação Docente. Participou do Projeto Rondon oferecendo aulas de informática básica para os professores da rede municipal de Peritoró-MA, já ministrou aulas de informática em Pato Branco-Pr e em Uberlândia-MG. Atualmente é instrutora de informática na escola Maria Tereza da rede municipal de Cascavel-Pr, onde realiza o projeto de pensamento computacional(PecMat) para os alunos dos 3º anos em situação de reforço escolar. Ensinando com Pensamento Computacional "Hoje em dia é fundamental que as pessoas adquiram habilidades de pensamento computacional.
10h30 10:30 A aventura vai começar na CPBR12 Inscreva seu grupo para levar o Jeikão Campuseiro para uma aventura na CPBR12

O grupo com a melhor imagem ganhará de presente brindes de hackerspaces Brasileiros

Leve o Jeikão pela Campus e poste sua foto no Twitter com # dumonths #cpbr12

Inscrições na bancada do Dumont Hackerspace a partir das 10:30

11h00 Érika Mayumi Saito Tagima Natural de Bragança Paulista - SP, estudei no Instituto Federal de São Paulo - campus Bragança Paulista durante dois anos no curso Técnico em Mecatrônica. Neste período, sob orientação dos professores do instituto, desenvolvi um projeto para auxílio de deficientes visuais utilizando a plataforma Android. Este trabalho foi premiado em eventos como a MOP, FEBRACE e I-SWEEEP. Desde então, ganhei cada vez mais interesse no Android, que tornanou-se objeto de estudo em outros projetos durante a faculdade, como visão computacional com reconhecimento de cores para navegação autônoma e desenvolvimento de modo kiosk no Android Kitkat. Atualmente sou aluna de graduação na Universidade Federal de Itajubá do 5º ano de Engenharia de Controle e automação. Faço parte do grupo OSA Chapter Unifei, estudo irradiação de antenas na iniciação científica e e sou estagiária da OneRF Networks, onde uma de minhas funções é desenvolver algoritmos para microcontroladores. MSP430: Interface com Android via Bluetooth Nesta atividade, farei uma breve introdução aos microcontroladores MSP430 da Texas Instruments e suas características. O objetivo do projeto é fazer a interface do MSP430G2553 com um dispositivo Android via Bluetooth utilizando dois softwares: o Code Composer Studio, uma IDE baseada em Eclipse, e o Android Studio. Muitos projetos de automação são feitos com dispositivos de prototipagem rápida, como o Arduino. O MSP430 pode ser visto como uma alternativa aos controladores da Atmel, com um custo tão baixo quanto o anterior aliados a um baixo consumo de energia.
12h00 Leomar Felipe Kuhn Desenvolvedor/ Programador de Sistemas com foco em sistemas WEB utilizando a linguagem PHP como back-end e bibliotecas como JQuery e Bootstrap para o front. Entusiasta em: IoT; Segurança; Automação;" IoT - Programando em blocos de forma fácil e descomplicada Nesta oficina iremos abordar um pouco sobre IoT com Arduino. Utilizaremos Nodemcu e o site Easycoding, ensinando de forma facil e descomplicada atraves de blocos de comando. Semelhante ao software Scrath, o site Easycoding nos auxilia de forma pratica como podemos programar para dispositivos IoT.
15h00 Daniel Fermo de Oliveira Formado em Sistemas de Informação pela Universidade Paranense, Instrutor de Informática desde 2009, atuando na Escola Prof. Michalina Kiçula Sochodolak, ministra aulas de Computação Criativa e Programação em Linguagens Scratch e Blockly para alunos do Ensino Fundamental I. Computação Criativa e Programação Scratch "Mostra do trabalho realizado em contraturno na Escola Prof. Michalina Kiçula Sochodolak, utilizando o material adaptado, disponibilizado pelo Escola de Graduação em Educação de Harvard e pelo MIT. "
17h00 Ana Clara Nobre Mendes Clara Nobre, analista de infraestrutura na Tink, coordenadora da Comunidade Software Livre Potiguar (Potilivre) e cofundadora do Pyladies Brasil. Desde então participo e coordeno comunidades das minhas áreas de interesse: Segurança da Informação, Python, Cloud Computing, Software Livre, Hardware Livre, BioHacking e pessoas > Tecnologia. CTW Capture de flag é um tipo de competição sobre segurança da informação e existem algumas modalidades. O CTW (CAPTURE THE WAVE) é uma competição individual que envolve conhecimentos em segurança de redes sem fio, assim como uma diversa gama de conhecimentos variados. Apresentando vários desafios e formas de acesso, permitindo que pessoas com conhecimentos básicos, possam participar.
19h00 Kevin Washington da Silva Lira Desenvolvedor front-end especializado em experiência do usuário, estudante de engenharia de computação, maker e aeromodelista. Plantador de pombos e adestrador de toranjas nas horas vagas. Decolagem autorizada: como construir seu drone do zero Utilizados tanto em guerras quanto em entregas de pizza, os drones são equipamentos que estão cada vez mais presentes em diversos lugares do mundo. O objetivo da palestra é apresentar e discutir aspectos relacionados à história, ao projeto e a construção de drones utilizando hardware livre.
21h00 Resultado das Aventuras do Jeikão pela Campus
22h00 Otávio Carneiro Membro do Calango Hacker Clube, pesquisador de hackerspaces, influenciador digital (2carneiros.tv, entra lá!) E o clima no seu hackerspace, como está? Vamos conversar sobre aspectos humanos dos hackerspaces participantes. Estamos conseguindo acolher as pessoas? Ou criando um clubinho fechado para reforçar nossas diferenças?

Sábado - 16/02

Horário Quem Minibio Projeto Descrição
00h00 Cezar Augusto Trevisan Professor de informática, prefeitura de cascavel, graduado em tecnólogo em gestao ública, tecnólogo em Inteligencia Espiritual, pedagogia, Pós graduando em mídias na edução, cursos de especialização em T.I e Informática educacional. HTML basico com o CodeClub Utilizando recursos do CODE CLUBE BRASIL, os participantes conheceram o básico que faz o programador web.
01h15 Everaldo José de Souza Idealizador do projeto Construindo o Futuro Hoje, projeto que ensina robótica livre e criativa a alunos do ensino fundamental, focado em desenvolvimento, prototipação e montagens de diversos tipos de robôs. Estudante de Sistemas Para Internet (SI) pela Faculdade UniCesumar, iniciou a trajetória na educação em 2013. Programador, DBA, louco por desafios, aplica sua experiência como influenciador em Hardware e Software livre, transformando a vida das crianças que participam do projeto com mais de 160 alunos já atendidos. Criando com robótica nos anos iniciais... Aprenda nesta oficina a montar diversos tipos de robôs utilizando material de reuso, impressos 3D entre outros, conexão e configuração da eletrônica, como ponte h, shield, motor, arduino e bluetooth, alem de programar tudo isso usando uma interface simples e de fácil manuseio conhecida como ardublock.
08h00 MARCEL KAPPES DA SILVA Supervisor de Equipe no Departamento Pedagógico da Secretaria de Educação do Município de Cascavel - PR, atua na coordenação de Informática e Robótica Educacional. Articulador local do Programa de Inovação Educação Conectada. Experiência de 11 anos em tecnologia na educação infantil e ens. fundamental anos iniciais. Arte interativa no Scratch A complexidade e beleza podem emergir da simplicidade! Nessa oficina veremos como algoritmos simples podem ter resultados artísticos encantadores e surpreendentes.
10h00 Gustavo Retuci Pinheiro Sou técnico em Automação Industrial pela ETE-FMC, engenheiro de Controle e Automação pela UNIFEI com parte da graduação feita na University of Manitoba, mestre em engenharia Elétrica pela UNICAMP e atual aluno de Doutorado em engenharia Elétrica na UNICAMP. Tenho uma grande habilidade em desenvolvimento de produtos e soluções devido meus cursos e minha experiência em várias empresas e laboratórios de desenvolvimento. Algumas destas habilidades são: Inteligência artificial e Deep Learning, eletrônica digital e analógica, sistemas embarcados e microcontroladores, impressoras 3D, Drones, equipamentos e máquinas industriais, programação em diversar linguagens, processamento de imagens, robótica, etc. Além disso, sou sócio proprietário e desenvolvedor de uma empresa de desenvolvimento de soluções de IoT (OneRF Networks). Sou iniciante na comunidade maker, mas pretendo retransmitir todo o conhecimento e experiências que adquiri ao longo da minha vida profissional e acadêmica, além de adquirir novos conhecimentos. Introdução a processamento de imagens utilizando Python e numpy Apresentação e demonstração conceitos básicos de processamento de imagens digitais. Este processamentos, entre outras coisas, podem ser utilizados para extração de características para redes neurais. Morfologia matemática, geração de imagens sintéticas, filtros convolucionais (domínio espacial e da frequência), transformações de histograma, componentes conexos, fator de forma, etc.
11h00 Mirela Soares França Arquiteta e Urbanista pela Universidade Federal de Goiás e com parte da graduação feita na Universidade de Manitoba (Canadá), onde tive a oportunidade de trabalhar no Departamento de Design Ambiental da Universidade de Manitoba liderando o projeto Landscape + Energy. Fui membro do Fórum de Mobilidade Urbana: Participação, Contribuição e Socialização do conhecimento técnico e científico na UFG em Goiania e sou co-autora de artigo sobre mobilidade urbana. Atualmente sou pesquisadora do grupo de estudos de Planejamento Urbano e Cidades Saudáveis (GEPUCS) na pós-graduação da UNICAMP e também atuo como arquiteta. Introdução à modelagem 3D do Sketchup Nesta atividade, farei uma breve introdução as ferramentas básicas de modelagem 3D do programa Sketchup e como elas são aplicadas no mundo da arquitetura. Também serão apresentadas ferramentas de renderização para realidade virtual através do plugin V-ray.
12h00 Weld Lucas Cunha Nasci na roça, Sou Engenheiro Eletricista e mestrando pela Unicamp. Trabalho com datascience. Implementação de sistema de desagregação de carga em python com uso de scikitlearn e pandas Imagine um sistema de feedback de energia que exibe não apenas o consumo total, mas também mostra continuamente o uso em tempo quase real, dividido por aparelhos elétricos. Tal sistema poderia fornecer recomendações de economia de energia personalizadas e econômicas. Por exemplo, poderia informar: "Com base em seus padrões de uso, você poderia economizar R$500,00 por ano mudando o seu ar-condicionado para uma unidade mais eficiente, que se pagará em 27 meses". Este sistema é um exemplo de implementação em python do sistema de desagregação de carga utilizando ferramentas de inteligência computacional e conhecimentos de ciência dos dados, além da aplicação de conhecimentos elétricos.
15h00 Matheus Gaboardi Tralli Estágiario de TI na IBM Brasil (Foco em Segurança da Informação). Estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Biohacker. Experiência como palestrante na BSides SP e H2HC (Lightning Talk) Dispositivos implantáveis em ataques a smartphones Biohacking é um conceito cada vez mais popular, principalmente pelo constante avanço dos dispositivos implantáveis. A palestra explicará a relação entre os conceitos de biohacking e transhumanismo, juntamente com a atual situação da comunidade biohacker. Esses conceitos utilizam a tecnologia de diversas formas, sendo o foco dessa apresentação os dispositivos implantáveis. Dentro dessa categoria, estão incluídos: biochips para controle de acesso e armazenamento (NFC e RFID), imãs para aumento sensorial de ondas magnéticas, monitores de temperatura e LEDs estéticos. Serão apresentadas características e usos para cada um dos implantes, além de demonstrações ao vivo dos chips RFID e NFC. Além disso, esses transponders podem ser utilizados como ferramenta para efetuar ataques a outros dispositivos, como smartphones. Nessa área, serão abordados métodos de uso de um biochip NFC para atacar dispositivos Android. Essa técnica é baseada em inserir arquivos maliciosos (APKs infectadas, links falsos e conexão automática em redes inseguras) no chip, juntamente com diferentes meios para chegar ao celular da vítima com o uso de engenharia social. Tal aplicativo ou arquivo malicioso é carregado no biochip com o intuito de ser transferido para o smartphone do alvo. Em um cenário real, a pessoa é convencida a escanear o transponder, forçando seu smartphone a conectar-se à rede do atacante e baixar o arquivo ou APK maliciosa. Com a execução do arquivo, o atacante obtém controle do dispositivo. Para concluir, essa abordagem cria uma nova gama de ataques e preocupações no campo da segurança de dispositivos móveis, em conjunto com uma conscientização da cena biohacker e das possibilidades criadas pelo avanço dos dispositivos implantáveis.
17h00 Ronaldo Alessander Viera Nunez Engenheiro Eletricista, maker e barista! Quando não está fazendo café, está estudando novas linguagens de programação ou testando novas distros Linux na Raspberry Pi. Hackeando o seu roteador: de super-poderes ao seu roteador wifi Nessa atividade vamos trocar o sistema operacional oficial de um roteador pelo OpenWRT, um sistema operacional embarcado GNU/Linux que dá super-poderes a roteadores de mesa simples. Por exemplo, com ele será possível automatizar tarefas, criar um broker IoT, criar um servidor web, de dados e etc. Enfim, trazer para um roteador de mesa, recursos que só há em roteadores e dispositivos de rede mais caros. As pessoas poderao levar seus próprios roteadores ou placas compatíveis, como a Raspberry Pi ou a Onion Omega 2.

Materiais das Oficinas

Uso comum

  • Ferro de solda
  • Estanho
  • Alicates
  • Tesoura / estilete
  • Switch