Encontro com Shady El Noshokaty

De Garoa Hacker Clube
Ir para: navegação, pesquisa

O garoa recebeu no dia 27 de janeiro de 2014 o artista egípcio Shady El Noshokaty.

Shady tem trabalhos interessantes utilizando tecnologia na arte, tanto como artista e educador.

http://www.noshokaty.com/STAMMERfinal.html

Ele também é o fundador de um espaço no Cairo chamado "ASCII" e colaborador do coletivo "Medrar", onde promove workshops para educação de jovens artistas, e vem utilizando e se interessando por tecnologias abertas.

http://www.asciifoundation.com/about.html

Além disso, Shady foi o curador do pavilhão egípcio da Bienal de Veneza em 2011, quando chamou atenção por levar obras de um artista expoente morto durante os conflitos na praça Tahir.

Organização

O produtor cultural Demétrio Portugal, amigo do Abdo, procurou este para que Shady conhecesse alguém da cena "open source" brasileira, de onde surgiu a ideia de levá-lo ao Garoa.

O encontro

O horário em que chegamos foi por volta das 20h.

Encontramos com ele para apresentar o hackerspace, bater um papo sobre arte e tecnologias livres.

Também falamos muito sobre a situação política do Egito, do contexto e condições pra quem faz arte lá e da trajetória dele.

O interesse dele em tecnologias abertas vem do contato com coletivos na Espanha.

Tiramos uma foto com parte do pessoal, mas não ficou imediatamente disponível. (Abdo buscará)

Vieram umas 4 pessoas conhecer o Garoa por conta do encontro.

Possível colaboração

Eu (Abdo) e o Luciano (Ramalho), conversando com Shady, conseguimos entender melhor a situação do espaço que ele está tentando começar no Cairo, chamado ASCII Lab.

A situação é dramática com os militares lá, gente sendo assassinada às dúzias pelo governo só por sair na rua na hora errada ou falar o que não deve. Quem tem sorte vai só preso. A praça Tahir, que antes era símbolo da revolução, foi tomada por reacionários e está sendo defendida contra dissidentes por tanques do governo.

Com isso, os espaços de encontro coletivos estão desarticulados e está inviável cultivar uma comunidade.

Nesse contexto, pensamos que uma saída poderia ser organizar umas oficinas on-line, construindo a ideia de um espaço ASCII virtual, que depois se traduza no espaço físico quando as ruas acalmarem.

Acho que em breve vamos abrir uma página, talvez na wiki do Garoa mesmo, pra listar pessoas tanto do Garoa/Brasil quanto do Egito, interessadas em mostrar algum trabalho, discutir um projeto, ou oferecer um workshop sobre algum assunto ou técnica.

Pode ser algo bacana pra alimentar a TV Garoa.

Do lado de lá o principal grupo de contato chama-se Medrar, é um coletivo tecno-artístico no Cairo, no qual o Shady também está envolvido, e a coisa mais próxima q existe de um hackerspace por lá.

--Solstag (discussão) 15h56min de 28 de janeiro de 2014 (BRST)