Hibrida/CyBaby/Documentacao

De Garoa Hacker Clube
Ir para: navegação, pesquisa

03.04.2014

Tutorial de desmontagem do Neurosky

Hacking MindWave Mobile

Referências para montagem de capacete para a Diana

|Melon

25.03.2014 - API NeuroSky

Conseguimos utilizar a MindSet, no Processing 1.5 e 2.0b3. O sample vem com níveis de atenção e meditação, mas é possível pegar as frequências separadas.

O evento de blink não funcionou e há um delay próximo de 1 segundo entre um dado e outro (pode ser que isso seja reduzido se fizermos o acesso direto ao hardware).


Próximas questões:

  • armazenar os dados em um arquivo .csv (ou outro formato melhor) com o timestamp e as frequências e níveis de atenção e meditação;
  • armazenar as informações do smartcitizen no mesmo arquivo: temperatura, humidade, ruído e luz;
  • tentar reduzir o intervalo de recebimento dos dados do NeuroSky.


Referências:

20.03.2014 - Baby Steps

No encontro estavam presentes no InovaLab: Lina Lopes, Luciano Ramalho, Luis Leão, Carol, Jaime Lobato, Rodrigo Rezende e Fernanda Duarte.

Iniciamos os testes com o NeuroSky, conectado no iPad via bluetooth. Encontramos um repositório com o protocolo de comunicação em python https://github.com/akloster/python-mindwave


NeuroSky

[Manual do NeuroSky](http://developer.neurosky.com/docs/lib/exe/fetch.php?media=mindwave_user_guide.pdf)

Para obter os dados do aparelho existem duas formas possíveis: através de um aplicativo chamado [ThinkgearConnector](http://developer.neurosky.com/docs/doku.php?id=thinkgear_connector_tgc) que conecta no dispositivo e abre uma porta de comunicação ou conectando diretamente na porta serial bluetooth.


SmartCitizen

--Não conseguimos testar o dispositivo ainda, aparentemente a bateria está completamente descarregada e o computador não reconheceu a porta para gravar o firmware.

Estava descarregado mesmo. Conseguimos configurá-lo e podemos agora carregar as informações de temperatura, humidade, NO2, CO e ruído.


18.03.2014 - Baby Steps

No encontro estavam presentes no InovaLab: Luciano Ramalho, Carol, Jaime Lobato, Rodrigo Rezende e Fernanda Duarte.

Foi discutido a importância da criação de uma base de dados ao longo do tempo para as ondas cerebrais de Diana, tendo em vista que sendo um recém-nascido, todos os dias o padrão se modifica, cresce. Seria interessante também sincronizar esta captura de dados com com outras variáveis do ambiente durante a amamentação, como temperatura, umidade e ruído. Pensar neste ambiente com trilha sonora tendo em conta que os bebês escutam relativamente bem desde o quarto/quinto mês de gestação. O Luciano falou de pensar em sincronizar músicas leves instrumental durante as mamadas.

O Jaime levantou que a relação entre a mãe e o bebê é extremamente tátil, então talvez fosse interessante pensar em uma finalização do protótipo que visualizase os dados em uma estrutura física. Além disso, foi comentado que seria interessante ter uma base de dados da mãe, uma pesquisa em ação e reação do ato de amamentar. Que comunicação e/ou poesia se realizam nesta etapa em que o cérebro é pré-liguístico?

Para o próximo encontro:

  • testar e-health shield + sensores (batimento cardiaco e sensores EEG principalmente)
  • testar NeuroSky na Lina (que dados sâo apresentados e como? Como se comunica com o computador?)
  • testar SmartCitizen (pensar integração entre os dados ambientais e os corporais da Diana)