Reunião de 20/03/2012

De Garoa Hacker Clube
Ir para: navegação, pesquisa

Local: Garoa-HC (Casa da Cultura Digital)

Início: 34039191 segundos desde a fundação

  • Lembrete: teto obrigatório da reunião é 23h30 (deadline do metrô).

Participantes (membros do CMC):

  • Miklos
  • Oda
  • Gustavo
  • Vanessa
  • Pitanga
  • Anchises
  • DQ
  • Juca
  • Aleph
  • Agaelebe
  • Lechuga
  • Carine
  • Leão

Visitantes (não membros do CMC):

Faltas justificadas:

  • Aylons
  • Luciano Ramalho
  • Wagner Sartori Jr

Informes

  • Após uso do espaço do Garoa (com autorização) para inicio das suas atividades, a Metamáquina agora começou a alugar sua própria sala no segundo andar da Casa 2. (Juca)
  • Pitanga e Wagner fizeram migração do site do Garoa.
  • Wagner configurou backup offsite do site do Garoa (falta espaço)
  • Compramos um certificado digital e agora está habilitado o uso de HTTPS em todas as páginas do site Obs: Wagner precisa pedir ressarcimento para o tesoureiro.
  • Vanessa informa que o projeto de identidade visual do site Garoa está parado, mas vai voltar. Lembramos que agora temos o site homolog.garoa.net.br onde podemos fazer testes.

Alterações no Regimento Interno

  • Cabe ao substituto do Chanceler Supremo (Oda) fazer o pedido de pizza (ou alimento equivalente) em cada reunião do CMC. Na ausência do Chanceler Supremo, cabe ao substituto apontar um novo responsável por pedir a pizza.
  • Para ingressar no CMC o associado deve enviar e-mail para o Chanceler Supremo ou manifestar a vontade em reunião do CMC para que seu ingresso fique devidamente registrado.

Alterações efetuadas em Regimento Interno.

Exclusão de membros com situação pendente

  • Fica definido como política dar um ultimato de 30 dias antes de o CMC votar a exclusão de um membro por inadimplência.
  • Caso M: Pitanga vai conversar com M sobre sua situação e informar que ele tem um prazo de 30 dias para regularizar sua situação.
  • Agaelebe vai contatar os demais membros inadimplentes e o assunto entrará definitivamente em votação na próxima reunião do CMC.

Pendências do último CMC

Assembléia Geral Ordinária

  • Fica marcada para 4ª feira, 28/03, às 19h30.
  • Juca vai convocar a Assembleia.
  • Tópicos adicionais à ordem do dia:
    • Aprovação do texto da Proposta Mozilla - se assinado pela Mozilla sem alteração, fica automaticamente aprovado. Caso contrário, teremos que votar de novo.

Padawanices

Apresentação

  • Aleph apresenta o Padawan Murilo Prestes (colocar link)

Propor uma Política para Direcionamento de contatos e atividades do Garoa

Conforme discutido na reunião passada, recentes acontecimentos mostraram a necessidade de criar uma política formal para orientar os membros do Garoa sobre a melhor forma de direcionar um contato ou uma proposta de atividade que chegue até nós, principalmente quando houver algum tipo de remuneração envolvido. Também se mostra necessário reforçar o princípop de que os membros do Garoa não devem utilizar o nome do Garoa, sua infraestrutura ou suas atividades (como oportunidades de palestra ou oficina) para bem próprio ou para promoverem negócios pessoais ou de terceiros. Também podemos propor punições para quem desobedecer esta norma, como, por exemplo, restituir o dinheiro arrecadado ou gasto pelo Garoa, proibir a pessoa de representar o Garoa, perda de cargo (diretoria, CMC ou Conselho Fiscal) ou, em casos extremos, até mesmo a expulsão. ( --Anchisesbr 06h07min de 16 de março de 2012 (UTC) )

Às vésperas desta reunião, Cláudio Miklos anunciou publicamente (e apenas posteriormente enviou informe à lista do conselho) uma parceria fechada com a PUC do Paraná para um curso pago de Arduino nos dias 29 e 30 de março (semana que vem). Esta atividade externa em nome do Garoa (com logotipo no cartaz de divulgação) não foi apresentada anteriormente como pauta para avaliação do conselho. O fato do curso ser pago gerou descontentamento, mas chama também a atenção a falta de apresentação para apreciação do conselho. ( --Juca 06h47min de 20 de março de 2012 (UTC) )

Miklos contesta afirmando que informou sobre a atividade na reunião anterior do conselho, sem objeções. Entretanto, nada consta em ata, nem mesmo como mero informe. Representação institucional deveria ser sempre explicitamente colocado como tema de pauta nas reuniões do CMC, para que o evento possa ser descrito em detalhes e discutido com calma e clareza. ( --Juca 13h23min de 20 de março de 2012 (UTC) )

Nota: Ao contrário do que escrito pelo Juca (acima), este assunto foi apresentado na reunião de Fevereiro do Conselho. --Anchisesbr 20h21min de 20 de março de 2012 (UTC)

Anchises retoma o que já está escrito na pauta.

Miklos foi convidado em nome do Garoa para realização de um evento que é uma extensão do curso de design da PUC. Diz que tudo o que veio a partir deste convite deve ir para o Garoa.

Miklos alega que a universidade só informou que o evento seria pago após a última reunião do CMC, quando foi comentado o assunto.

Miklos acha justo que o CMC aprove ou não a participação no evento com o nome Garoa.

Juca propõe que a participação em todo e qualquer evento seja aprovado pelo CMC.

Luca: o garoa preza pelo acesso livre ao conhecimento, ou seja, não há nenhuma forma de restrição no acesso ao conhecimento, e o pagamento é um fator restritivo. Temos que voltar sempre aos nossos valores.

Miklos afirma que está disposto a falar para a PUC que o Garoa não concorda com a cobrança do curso. Também afirma que eles "inventaram esse negócio de Arduino e Design" (referindo-se ao título que a PUCPR deu a oficina), que não tem nada a ver com a proposta inicial do curso.

Pitanga ressalta que na reunião passada a maioria mostrou-se a favor de que propostas de participação em eventos feitas diretamente a pessoas sejam restritas à esfera pessoal. Isto é, se há pagamento a pessoa pode fazer o que quiser com ele. Ressalta que quando discutirmos a participação em eventos no CMC, isso deve ser feito de forma clara e explícita (colocando em pauta). Sobre a PUC: propõe que se peça que a PUC retire o nome do Garoa.

Anchises: muito do que já falou está como pauta de proposta de norma. Questão da PUC: não acho certo perdermos tempo discutindo isso, pois quando a decisão foi tomada não havia política. Não adianta crucificar alguém por uma decisão com base em uma política que foi criada após a decisão. Concordo com os argumentos do Juca, mas sou contra a política proposta de não participação do Garoa em eventos genéricos pagos.

Pitanga: devemos diferenciar "cursos pagos" (pontuais) de "eventos pagos" (eventos genéricos ou amplos).

Oda: não devemos aceitar que "revendam" nossos cursos.

Miklos: Prática: não se deve aceitar qualquer proveito de parte de participação em evento em nome do Garoa sem que reverta totalmente ao Garoa o proveito. "Se eu for convidado em nome do Garoa a participar de um evento em nome do Garoa, o dinheiro é do Garoa". Se há a divulgação do logotipo e menção direta ao nome do Garoa no evento, então considera-se que esse evento ocorre em nome do Garoa e o proveito deve ser do Garoa. Caso contrário, é da pessoa e ela decide o que vai fazer.

Oda: não devemos deixar uma entidade "revender" os nossos cursos, mas isso é nebuloso. Não podemos restringir demais pois é uma faca de dois gumes. Acho que os eventos não precisam passar efetivamente pelo Conselho.

Gustavo acha que o Miklos já havia colocado o ponto [evento na PUC] na reunião passada e que a PUC mudou as regras do jogo no meio tempo. Mas seria danoso para o Garoa não participar do evento agora e acha que o Miklos deve participar do evento .

DQ: nos atemos muito aos casos específicos e acabamos rediscutindo tudo em ocasiões posteriores. Definir uma política é mais importante que decidir sobre o caso específico da PUC agora. Proposta: definir a regra. Sobre o caso específico, acho que não temos muito o que fazer agora.

Lechuga: não vejo problema em um evento cobrar. Acho válido que possamos discutir. Exemplo da Campus Party, um evento pago em que demos vários cursos de graça. Não vejo problema no curso do Miklos, mas entendo que é justo colocar mais claramente em discussão. "Acho inútil ficar definindo regras: o passa-tempo de vários de nós é sacanear regras!"

Alberto: Até há pouco a coisa estava fluindo sem termos que ficar definindo regras. É isso o que queremos, ficar definindo regras para tanta coisa? Até há 2 meses a coisa estava funcionando bem na base do bom senso. Estampar o logo do Garoa em algum momento de uma apresentação (paga) para promover o Garoa não deve implicar em "representação institucional". Devemos usar o termo "representação institucional" em vez de "logo". Tenho saudades do Garoa de um tempo atrás. Parece que vai ser melhor se definirmos "regrinhas", mas o bom senso deve sempre prevalecer. Se há problema de pessoas empregando o nome do Garoa indevidamente, devemos nos preocupar com as pessoas. No caso do evento do Miklos, foi algo que fugiu ao seu controle. Sou a favor de falar não para a PUC por conta da mudança de rumos e não devemos deixar de falar não apenas pelo dinheiro. Se a participação em evento é solicitada como participação institucional do Garoa, o dinheiro deve ir para o Garoa.

Leão: estamos tratando da questão como se cada pessoa fosse uma pessoa diferente no Garoa, no trabalho, na vida pessoal. Eu vou fazer uma apresentação no trabalho e eu vou falar do Garoa! Se o logo do Garoa é colocado como apoio em um evento, está claro que há uma participação institucional.

Anchises: é perda de tempo e stress discutir o caso da PUC sem antes chegar no consenso de uma norma. No site da PUCRS está muito claro que os cursos de extensão da PUC são pagos, mas não é o caso de dizer que alguém é obrigado a checar isso, e a PUC foi transparente. Falhamos em averiguar que o curso era pago, e a PUC não agiu de má fé pois todos sabemos que a PUC cobra de seus cursos. Além disso, é fácil calcular que quase a metade da receita do curso virá para o Garoa. O motivo original da discussão é gerar uma política para eventos e não decidir sobre o caso específico da PUC. É importante criarmos as regras e determinar punições para quando saimos das regras.

Juca: a razão pela qual levantei questionamentos sobre o evento da PUC não foi um eventual enriquecimento da PUC a partir do evento, mas sim a restrição do acesso ao conhecimento proliferado pelo evento. Hoje eu estou pessoalmente incomodado com as consequências dos eventos Campus Party e Metamáquina. Certamente, dois meses atrás eu estaria levantando a mão e dizendo que está errado um curso pago em nome do Garoa. Nós todos fazemos parte do Garoa, isso está marcado na vida e no currículo de cada um. As pessoas tem uma dificuldade em distinguir o que é um projeto e o que é outro. Se as pessoas "querem" o Garoa, então estamos em posição de impor condições.

Luca: fico muito triste com tudo isso. Desconfortável com a troca de farpas na lista. Todos estamos aqui por objetivos e princípios em comum. O Garoa não existe sem as pessoas que o fazem. Não é uma organização pragmática (faz isto, isso e aquilo).

Miklos: continuo com a mesma posição.

Estes ocorridos nos trazem os seguintes tópicos para debate e definição/refinamento de políticas de organização de atividades:

Oda: rolou discussão na lista - vaca amarela, escreve o e-mail e dá descartar. Todo mundo tá com a razão, "tem alguém errado na internet".

Juca: fazer uso do nosso poder político para compensar eventuais restrições impostas por entidades que convidam o Garoa para eventos. Entrar grana no Garoa é importante, mas isso não deve acontecer a qualquer custo. Temos que mostrar para o mundo o que o Garoa é aqui. Se a dinâmica de uma atividade externa divergir do que é aqui, não faz sentido levarmos a marca Garoa para fora.

Propostas:

Participação institucional em cursos pagos

POLÍTICA APROVADA:

  • A princípio não participaremos institucionalmente de cursos em que os participantes são cobrados.
  • Evento com cobrança de entrada é diferente de curso com cobrança de inscrição. Curso é pontual. Essa política não vale para participação em eventos.
  • Quando a participação em um curso pago for de extremo interesse estratégico para o Garoa, o CMC poderá avaliar a participação.

Recebimento de Convites para participação em eventos

POLÍTICA APROVADA:

  • Sempre que o Garoa receber um convite para palestrar ou oferecer um curso, oficina ou equivalente em algum evento externo (ex: congressos, palestras em faculdades ou entidades, etc), a decisão cabe ao CMC, em reunião ou através da lista de discussão.
  • Conforme indicado no Estatuto, compete ao Chanceler Supremo servir de porta-voz preferencial do Garoa HC perante a imprensa e a comunidade externa.
  • Qualquer diretor, membro do CMC ou do Conselho Fiscal pode representar o Garoa a qualquer momento, na impossibilidade do Chanceler Supremo o fazer.
  • Qualquer associado efetivo do Garoa pode representar o Garoa em eventos externos, contanto que devidamente designado para tal pelo CMC.
  • Quando a atividade exigir deslocamento externo para outra cidade, deslocamento de equipamentos ou compra de material, caberá a entidade externa arcar com os custos relacionados. Quando isto não for possível, caberá à Diretoria Executiva ou ao CMC decidir se o Garoa tem possibilidade e interesse de reembolsar as despesas.
  • Quando o convite envolver a remuneração do(s) palestrante(s), esta remuneração deve ser direcionada integralmente ao Garoa Hacker Clube, uma vez que o convite foi feito ao Garoa.
    • Mesmo que o a remuneração do palestrante seja direcionada aos cofres do Garoa para ajudar na manutenção da entidade, o representante do Garoa tem direito de solicitar o reembolso das despesas, nos casos previstos acima.
    • Na impossibilidade de algum representante do Garoa poder participar do evento, a Diretoria Executiva ou o CMC pode redirecionar este convite a associados ou terceiros, a critério e com a concordância da entidade externa, e conforme descrito abaixo.
  • Se um associado receber um convite pessoal para participar de um evento remunerado, de modo que isso não envolva a participação institucional do Garoa, cabe a ele decidir como proceder.

Redirecionamento para associados ou terceiros

POLÍTICA APROVADA:

  • Quando o Garoa receber pedidos de participação em eventos, mas nenhum associado puder ou quiser participar representando a entidade, pode-se repassar o convite a associados ou terceiros que queiram suprir a demanda sem representar institucionalmente o Garoa.
  • Caso algum associado ou terceiro aceite o convite, deve-se deixar claro junto a entidade externa, ao associado e no material utilizado que esta pessoa não representa o Garoa.
  • No caso previsto neste artigo, se o convite recebido pelo Garoa envolve a remuneração do palestrante, então o Garoa pode sugerir ao associado ou terceiro que repasse uma parte de seu cachê para os cofres do Garoa.

Eventos

Virada Hacker

  • Decidimos registrar o domínio viradahacker.net.br
  • Luca ficou de enviar um e-mail para a organização da Virada Cultural descrevendo a nossa capacidade logística.

Garoa Hacker Camp

  • Pitanga e Anchises conversaram sobre realizar o evento de novo nesse ano.
  • Anchises sugere jogar na lista e começar a discutir. Sugere fecharmos um camping.
  • O evento ainda é uma proposta em discussão.

Consulta Pública sobre patente de software

Saiu na lista um anúncio de que o INPI abriu processo de consulta para exame de patente que inclui programa de computador. Alguns sugeriram um posicionamento to Garoa HC.

Pitanga e Aleph vão marcar um evento de discussão sobre o assunto (mesa redonda?).

Google Analytics no site do Garoa ou outra solução

Os aprimoramentos feitos no site do Garoa nesta última semana apontam para uma administração consciente a respeito de questões de privacidade dos visitantes do nosso site. Gostaria de parabenizar a iniciativa de uso de HTTPS obrigatório em todas as páginas do site, iniciativa que já vem sendo tomada em diversos hackerspaces amigos como Noisebridge e Metalab e que tem impacto positivo na privacidade da navegação dos nossos visitantes.

A proposta de uso de ferramentas do Google Analytics, entretanto, aponta na direção oposta e causa preocupação em alguns associados. Detalhes técnicos sobre as preocupações em questão são apresentados no paper Panopticlick, de autoria da Eletronic Frontier Foundation, que trata de técnicas de rastreamento comportamental amplamente adotadas por empresas de targeted advertisement.

Juca 06h28min de 20 de março de 2012 (UTC)

Proposta:

Formação de um grupo de trabalho com as seguintes atribuições:

(1) definir com clareza quais resultados se visa alcançar com o suposto uso do Google Analytics ou equivalente

(2) analisar as preocupações colocadas e determinar se é ou não possível adotar alguma solução que leve estas preocupações em consideração.

(3) Se possível, a longo prazo, publicar no site do Garoa um parecer sobre o tema

Composição do GT de privacidade:

  • <listar>
  • <nomes>
  • <aqui>

Juca vai tocar um grupo de discussão e trazer algo para a próxima reunião.

Temas que ficaram para a próxima reunião

  • Miklos propõe discutirmos e propormos mudanças no processo Padawanístico
  • Checklist de revisão do Estatuto

Reunião encerrada a 34057106 segundos após a fundação.